Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 25 de outubro de 2017.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Roberto Brenol Andrade

Palavra do Leitor

Notícia da edição impressa de 26/10/2017. Alterada em 25/10 às 21h07min

Bitcoin

Sobre o vídeo Do bitcoin ao blockchain: tecnologias impactam transações financeiras (Jornal do Comércio on-line, 24/10/2017), os bancos serão os primeiros a caírem com o sucesso das criptomoedas. E o blockchain também irá acabar com os atravessadores, pois um dos propósitos dessa descentralização é eliminar os intermediários, tornando produtos e serviços mais ágeis e baratos. (Duran Junior, Porto Alegre)
Advocacia
No Rio Grande do Sul, ao que consta, a Justiça Federal e a Justiça do Trabalho já se acham totalmente "mecanizadas": nada de processos avulsos e manuseáveis, nada de folhas de papel. Na Justiça Estadual, felizmente, tal "modernização" ainda não se instalou "in totum". A modificação em foco melhorou e acelerou os serviços judiciários? Pelo que se colhe no meio advocatício, o atraso continua. E não se observa o progresso antecipadamente proclamado. Advogado antigo (e assíduo ao Fórum), com quase 60 anos de militância, nunca concordamos com tais alterações. E notamos, agora, que nossas restrições tinham toda razão de ser. Estão acabando com a advocacia timbrada pela ciência e pela arte. E com a convivência fraterna, agradável e diária dos causídicos entre os cartórios, salas da OAB e corredores do Foro. Será isso progresso? (George Teixeira Giorgis, advogado, Bagé/RS)
Prefeitura da Capital
Passados mais de nove meses da nova administração da prefeitura de Porto Alegre, ainda não se percebeu nada além de medidas contra os servidores e mais despesas para os cidadãos. Porto Alegre está andando para trás, basta ver a sujeira e a degradação dos espaços públicos como praças, a capina das ruas o desentupimento de bueiros em todos os níveis, nos serviços, no visual da cidade e nos procedimentos. O prefeito Nelson Marchezan Júnior (PSDB) corta despesas em todos os setores, mas não mostra o que gasta, por exemplo, o custo em aluguéis de imóveis impróprios, quando a prefeitura possui muitos imóveis perfeitos e ociosos. A relação receita/despesa não é tão trágica a ponto que nada possa ser feito. (Marcelino Pogozelski, presidente do Sintran)
Governo Temer
A sociedade é incapaz de reagir a fatos criminosos protagonizados pelo presidente Michel Temer (PMDB). Manifestações populares na rua não acontecem espontaneamente. Nem oposição, nem movimentos que pediram a queda de Dilma Rousseff (PT) têm iniciativa para transformar a rejeição a Temer em ações políticas significativas. A oposição parece satisfeita com a impopularidade do governo - inclusive para que ele conclua reformas necessárias e impopulares - a fim de colher resultados eleitorais futuros, num ambiente de crescimento pavimentado. (Luís Augusto Fialho de Fialho, bancário, Porto Alegre)
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia