Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 11 de setembro de 2017. Atualizado às 22h51.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

prefeitura de porto alegre

Notícia da edição impressa de 12/09/2017. Alterada em 11/09 às 22h11min

Simpa ingressa no MP de Contas contra parcelamento

O Sindicato dos Municipários de Porto Alegre (Simpa) encaminhou ontem uma representação ao Ministério Público (MP) de Contas contra o parcelamento de salário praticado há três meses pela prefeitura de Porto Alegre. O argumento é que há dinheiro em caixa, ao contrário do anunciado pelo prefeito Nelson Marchezan Júnior (PSDB) desde o início do ano, com ênfase nesse período que compreende o atraso na quitação da folha.
"O prefeito está parcelando à revelia da Justiça", argumenta o diretor do Simpa Jonas Reis. A referência é à decisão judicial que proíbe atraso superior a 48 horas após o prazo legal de pagamento - último dia útil do mês - para integralizar a folha, sob pena de ser multado em R$ 10 mil por dia de atraso.
O sindicato alega que a prefeitura descumpre a legislação municipal e ordem judicial. "(O prefeito) está atrasando por gosto, porque quer onerar a prefeitura. É um projeto de terrorismo, ele quer criar factoide para aprovar o projeto do estatuto dos servidores na câmara", critica. Segundo Reis, o procurador-geral do MP de Contas, Geraldo Da Camino, pretende dar resposta ao pedido do sindicato até a próxima semana.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia