Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 28 de setembro de 2017. Atualizado às 00h20.

Jornal do Comércio

Opinião

COMENTAR | CORRIGIR

artigo

Notícia da edição impressa de 28/09/2017. Alterada em 27/09 às 19h49min

Empresários, os heróis da resistência!

Estevão Odone Leuck
Energia barata, impostos reduzidos e menos encargos trabalhistas. Tudo isso poderia fazer parte do perfil do nosso país. Mas é o que oferece o nosso vizinho Paraguai para indústrias que queiram se estabelecer por lá. É o sonho de qualquer empresário ou empreendedor que deseja ter sucesso sem necessitar preocupar-se com a intervenção descabida do Estado. Tive a oportunidade de visitar a capital paraguaia, Assunção, e ver como estão progredindo empresas brasileiras que optaram por instalar-se no Paraguai. Para nossa surpresa, vimos que todas estão muito bem, não tendo saudade da série de problemas que enfrentavam em território brasileiro.
Já são mais de 100 as empresas do nosso País que atuam no Paraguai, beneficiadas pela Lei Maquila, um conjunto de benefícios que permite ter energia 70% mais barata do que no Brasil, exportações e importações de matérias-primas e equipamentos isentas de qualquer taxas e impostos, e encargos sobre salários onerando cerca de 30% a folha de pagamento. Cada vez mais, o empresário e o empreendedor são verdadeiros heróis no Brasil. É nítido que somos penalizados com o pagamento do custo Brasil, com a burocracia, com leis trabalhistas ultrapassadas e com a falta de segurança que atingem nossos negócios. As empresas estão encolhendo, muitas encerrando suas atividades no Brasil e buscando novos ares, e os nossos governantes apertam o cerco em torno de quem produz e gera riqueza. Praticam aumentos abusivos de impostos para pagar as contas criadas pela má gestão pública. Mesmo utilizando de todas as armas para superar as dificuldades e vencer em nosso país, chega uma hora em que a empresa não consegue mais enfrentar o sistema tributário e de custos do Brasil, e acaba migrando mesmo.
Ser um ótimo gestor, ter conhecimento do seu negócio e investir em inovação, no Brasil, infelizmente, não são fatores que permitam ao empresário crescer. Apenas o faz sobreviver. É preciso reverter este quadro urgentemente, pois, do contrário, quem gera riqueza vai acabar indo embora, e nosso país poderá regredir dezenas de anos em sua matriz econômica e industrial.
Querer empreender no Brasil de hoje beira a insanidade. Ainda bem que temos milhões de insanos que acreditam em si e nos seus negócios!
Ex-presidente da Associação RS Óleo, Gás&Energia
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia