Airton Gontow criou o site Coroa Metade 
e agora aposta no naVEGcomigo Airton Gontow criou o site Coroa Metade e agora aposta no naVEGcomigo Foto: /ARQUIVO PESSOAL/DIVULGAÇÃO/JC

Site aproxima casais veganos e vegetarianos

O jornalista Airton Gontow, 55 anos, nascido em Porto Alegre e radicado em São Paulo, criou, há cinco anos um portal de relacionamentos para um público maduro. O Coroa Metade surgiu após um divórcio. Ao enfrentar um longo período solteiro e ter vivido "as dificuldades que um homem mais velho passa para encontrar uma nova companhia", percebeu uma oportunidade no mercado. Agora, anuncia uma novidade: lançará uma plataforma de encontros amorosos só para vegetarianos e veganos.
GeraçãoE - Como é atuar num mercado que concorre com aplicativos como Tinder, Happn e outros?
Airton Gontow - É um mercado promissor e muito forte, que tem espaço para todos, desde que exista competência. Nós somos completamente diferentes do Tinder. Nunca teremos milhões de pessoas. Nossa convicção e investimento é que muitas pessoas têm uma busca mais específica e por isso optam por sites mais segmentados. O site Coroa Metade foi pioneiro nesse sentido. Agora que está consolidado, estamos elaborando um novo portal de relacionamento para veganos e vegetarianos, o naVEGcomigo, que será lançado no início de 2018.
GE - Como assim? Por que escolheu estreitar tanto o público?
Airton - Por ser segmentado, com um público crescente. Conversando com uma amiga vegana, ela disse que os homens não entendem que ela não quer ir em determinados restaurantes, que tem uma série de 'restrições' alimentares. Logo tive a ideia de criar um site para veganos, que ampliei também para os vegetarianos. 
GE - Quais os desafios desse mercado de relacionamento que inicia de forma virtual?
Airton - Atrair um número maior de homens. Em todo o Brasil, nosso site tem uma quantidade bem maior de mulheres: temos hoje 38% de homens e 62% de mulheres. Isso porque quando uma mulher gosta do site, ela conta para 10 ou mais amigas. Já o homem não conta para ninguém. E não é por medo de concorrência, mas por temor sobre o que o amigo dirá. Tem receio que o amigo diga: "Cara, você é um banana? Precisa de um site para conhecer mulher? Deixa que eu te ensino como é que se chega em uma mulher!". Além disso, de maneira geral, as mulheres entram no portal quase todos os dias, e os homens só uma ou duas vezes por semana.
Compartilhe
Seja o primeiro a comentar

Publicidade
Newsletter

HISTÓRIAS EMPREENDEDORAS PARA
VOCÊ SE INSPIRAR.

Receba no seu e-mail as notícias do GE!
Faça o seu cadastro.





Mostre seu Negócio