Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 14 de setembro de 2017. Atualizado às 11h33.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Negócios Corporativos

Alterada em 14/09 às 11h33min

Cade aprova ampliação de parceria entre Latam e American

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou sem restrições acordo comercial entre Latam Airlines Group e American Airlines, conforme despacho publicado no Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira (14). A operação aprovada consiste em um Joint Business Agreement (JBA), uma espécie de acordo de cooperação entre companhias aéreas mais ampla que o chamado codeshare.
O acordo envolve transporte aéreo de passageiros e cargas das empresas em rotas entre a América do Norte (Estados Unidos e Canadá) e a América do Sul (Brasil, Chile, Colômbia, Paraguai, Peru e Uruguai).
As duas empresas já têm firmado entre si um acordo de codeshare, no entanto elas afirmaram ao Cade "que o presente JBA irá melhorar a conectividade e a experiência do passageiro, resultando no desenvolvimento de uma malha aérea mais integrada, capaz de gerar benefícios adicionais que não poderiam ser obtidos a partir do referido acordo de codeshare".
Segundo as companhias, essa modalidade de acordo vai permitir torná-las "players mais competitivos e eficientes, especialmente ao reduzir tarifas, aumentar a densidade de tráfego e a qualidade dos serviços oferecidos, o que, por conseguinte, resultará em benefícios substanciais aos passageiros".
Além disso, acrescentam, "ao criar uma malha aérea combinada superior e oferecer uma variedade de novas conexões online, a operação resultará em um aumento de eficiência e benefícios aos consumidores nas rotas sobrepostas e não sobrepostas". O despacho com o aval ao negócio é assinado pela Superintendência-Geral do Cade.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia