Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 08 de setembro de 2017. Atualizado às 19h29.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

07/09/2017 - 16h57min. Alterada em 07/09 às 16h57min

Ouro fecha em alta, ajudado por fraqueza do dólar

O contrato futuro de ouro fechou em alta nesta quinta-feira, ajudado pela queda do dólar em relação a outras moedas fortes.
O ouro para dezembro, negociado na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), subiu 0,84%, a US$ 1.350,30 por onça-troy. O metal precioso está no maior patamar em cerca de um ano, sustentado pelo dólar enfraquecido, por questões geopolíticas e por dúvidas sobre quando os bancos centrais serão mais agressivos em relação à elevação das taxas de juros.
Depois de cair ontem após o anúncio do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de que ele e líderes do Congresso concordaram em elevar o limite de empréstimos do país durante três meses, o ouro se recuperou hoje.
A decisão do Banco Central Europeu (BCE) de manter os juros inalterados hoje fez o euro subir em relação ao dólar e, mais tarde, a notícia de que Trump teria chegado a um acordo com democratas para remover o teto da dívida americana acentuou as perdas do dólar.
Dúvidas sobre se o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) irá aumentar os juros impulsionaram o ouro nas últimas sessões, pois o metal sofre para competir com ativos que rendem juros, como os Treasuries, quando as taxas sobem.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia