Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 21 de agosto de 2017. Atualizado às 17h59.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Câmara dos Deputados

Alterada em 21/08 às 18h01min

Maia garante que teto do funcionalismo será votado após 7 de setembro

Presidente da Câmara indicou que quer evitar rota de colisão com o Judiciário

Presidente da Câmara indicou que quer evitar rota de colisão com o Judiciário


EVARISTO SA/AFP/JC
O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta segunda-feira (21) que colocará o projeto que regulamenta o teto do funcionalismo público em votação no plenário da Casa após o feriado de 7 de Setembro. A proposta já passou pelo Senado e, atualmente, é discutida em uma comissão especial da Câmara, criada na última terça-feira (15).
À reportagem, Maia afirmou que, antes da votação, pretende formar comissões da Câmara e do Senado para discutir o tema com representantes do Judiciário e do Ministério Público. De acordo com o presidente da Câmara, o objetivo é que a proposta seja aprovada por meio do diálogo, para não transparecer que o Legislativo está entrando em rota de colisão com o Judiciário.
De autoria de comissão especial do Senado, o projeto traz definições do que deve e o que não deve ser submetido ao teto. O limite é o salário de um ministro do Supremo Tribunal Federal, hoje de R$ 33.763,00. A proposta em discussão no Congresso prevê que o teto leve em consideração o somatório de todas as verbas recebidas por uma mesma pessoa.
Pelo projeto, ficam de fora do teto as parcelas de caráter indenizatório que visem reembolsar o servidor por despesas feitas no exercício das suas atividades. Entram nesta lista auxílio-alimentação para suprir necessidades nutricionais na jornada de trabalho, ajuda de custo para mudança por interesse da administração, diárias de trabalho, auxílio-transporte, auxílio-fardamento, auxílio-invalidez e auxílio-funeral, entre outras.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia