Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 16 de agosto de 2017. Atualizado às 21h23.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

câmara dos deputados

Alterada em 16/08 às 21h25min

Relator da reforma política recua e desiste de incluir doação oculta em texto

O deputado havia incluído a proposta em seu relatório, apresentado nesta terça

O deputado havia incluído a proposta em seu relatório, apresentado nesta terça


LUCIO BERNARDO JR/CÂMARA DOS DEPUTADOS/JC
Em um novo recuo, o relator da reforma política na Câmara, deputado Vicente Cândido (PT-SP), anunciou na noite desta quarta-feira (16), que vai retirar do texto a possibilidade de manter oculto o nome dos doadores de campanha. O deputado havia incluído a proposta em seu relatório, apresentado nesta terça-feira. Pelo texto, o doador poderia pedir que seu nome não fosse divulgado à população, independentemente do valor doado.
A proposta recebeu diversas críticas, inclusive do presidente da comissão, deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), que classificou a ideia como "lamentável", pois dificultaria a fiscalização e não contribuiria com a transparência do processo. Vicente Cândido reconheceu que a pressão popular pesou em sua decisão e afirmou que, como não havia consenso entre os líderes da Casa, ele decidiu retirar a proposta do texto.
A volta da doação oculta estava prevista no relatório que ainda está sendo discutido na comissão e deve ser votado no plenário somente depois de os deputados aprovarem a emenda à Constituição que cria o fundo público eleitoral e estabelece o chamado distritão.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia