Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 31 de agosto de 2017. Atualizado às 08h33.

Jornal do Comércio

Opinião

COMENTAR | CORRIGIR

Artigo

Notícia da edição impressa de 31/08/2017. Alterada em 31/08 às 08h35min

Os 500 anos da Reforma Protestante

Zenar Eckert
2017 tem um grande significado histórico para a sociedade, pois é o ano em que se comemora uma das datas mais importantes deste século: os 500 Anos do Movimento da Reforma. A Reforma teve origem na cidade de Wittenberg, na Alemanha. O marco do movimento foi o dia 31 de outubro de 1517, quando o monge Lutero publicou 95 teses, escritas em alemão, na porta da igreja do Castelo de Wittenberg, onde protestou contra diversos pontos da doutrina da única Igreja da época e sugeriu mudanças. A sua atitude repercutiu muito. Solicitado a se retratar, Lutero não concordou em fazê-lo, a não ser que suas teses fossem derrubadas com argumentos bíblicos.
Sendo assim, Lutero foi expulso da sua Igreja e, como consequência, ocorreu a sua divisão, sem ser esta a pretensão do reformador. O movimento ultrapassou as fronteiras e se estendeu a outros países da Europa, chegando ao Brasil em 1824, com a imigração alemã. Celebrar os 500 anos da Reforma é resgatar o legado deixado por Lutero para cristãos e não cristãos, pois a sua atitude ultrapassou os muros da igreja.
As suas ações influenciaram a política, a economia, a educação, a cultura e a ética. Vale lembrar que Lutero foi um dos principais defensores de que a educação era direito de todos, que o lucro obtido de forma ética não era pecado e que a Igreja e o Estado deveriam ser separados. Essa comemoração não deve ser exclusiva da comunidade luterana, mas de toda a sociedade. Em 2011, as duas igrejas luteranas herdeiras da Reforma, Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (Ieclb) e a Igreja Evangélica Luterana do Brasil (Ielb) criaram a Comissão dos 500 Anos da Reforma Luterana, que está conduzindo a realização de diversas atividades, como a produção de textos numa linguagem atual sobre as contribuições de Lutero e a realização de eventos que estão acontecendo em todo o Brasil.
Presidente da Comissão de Festividades dos 500 Anos da Reforma Luterana
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia