Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 31 de agosto de 2017. Atualizado às 00h17.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Estados Unidos

Notícia da edição impressa de 31/08/2017. Alterada em 30/08 às 20h37min

Tempestade Harvey chega a Louisiana

Prefeitura de Houston abriu um novo abrigo para 10 mil pessoas

Prefeitura de Houston abriu um novo abrigo para 10 mil pessoas


MANDEL NGNAN/MANDEL NGNAN/AFP/JC
A tempestade tropical Harvey voltou a tocar a solo dos Estados Unidos na manhã de ontem. A tormenta chegou ao estado da Louisiana com ventos de 72km/h e seguiu rumo ao norte. Segundo o Centro Nacional de Furacões dos EUA, o fenômeno deve enfraquecer, mas, mesmo assim, ainda causará estragos nos estados de Louisiana, Arkansas, Tennessee e partes do Missouri.
Louisiana foi o palco da tragédia causada pelo furacão Katrina, há 12 anos. O rompimento dos diques de proteção em Nova Orleans foi o principal problema após o furacão atingir a cidade. Na ocasião, 1.833 pessoas morreram - 40% delas afogadas - e cerca de 80% da cidade ficou debaixo d'água.
Ontem, depois de cinco dias de chuva intensa, a cidade de Houston, no Texas, registrou períodos de chuva fraca intercalada com sol. As autoridades já confirmaram a morte de 18 pessoas na área metropolitana da cidade, que é a quarta maior dos EUA. Com o objetivo de evitar roubos, o prefeito de Houston, Sylvester Turner, anunciou um toque de recolher entre as 22h (0h de Brasília) e as 5h (7h).
O caso mais grave até o momento ocorreu no condado de Brazoria (a 80 quilômetros de Houston), onde um dique de contenção foi rompido pela água na terça-feira. Com isso, as autoridades pediram que os moradores de Columbia Lakes deixassem suas casas imediatamente e se refugiassem em locais mais altos do município.
Segundo o Serviço Nacional de Meteorologia dos EUA, a chuva no Texas é a maior da história nos Estados Unidos continental. Caíram, até a tarde de terça-feira, 131,7 centímetros de água, ultrapassando a marca anterior de 122 centímetros causada por um furacão em 1978 na cidade de Medina, também no Texas. Apenas o Havaí, que sofreu uma precipitação de 132 centímetros em 1950, teve uma chuva maior do que a de Houston.
A tempestade Harvey, afirma a empresa de meteorologia AccuWeather, será o desastre natural mais caro da história dos EUA. O custo total para responder aos estragos deve ficar perto de US$ 160 bilhões. Isso seria similar ao custo causado pelos furacões Katrina e Sandy.
A prefeitura de Houston abriu um novo abrigo, com capacidade para 10 mil pessoas, e mais 500 vagas no centro de convenção George R. Brown, que já funcionava com o dobro da capacidade. "Nós não vamos abandonar ninguém, mas isso significa que precisamos expandir nossa capacidade e nossa competência", disse Turner.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia