Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 20 de agosto de 2017. Atualizado às 18h34.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Estados Unidos

20/08/2017 - 18h35min. Alterada em 20/08 às 18h36min

Trump faz nesta segunda anúncio sobre nova estratégia para o Afeganistão

Donald Trump promete fazer anúncio à nação nesta segunda-feira sobre o Afeganistão

Donald Trump promete fazer anúncio à nação nesta segunda-feira sobre o Afeganistão


NICHOLAS KAMM / AFP/JC
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, fará um anúncio à nação nesta segunda-feira (21) sobre sua estratégia para a guerra no Afeganistão, disse a Casa Branca neste domingo (20). Na sexta-feira (18), Trump se reuniu com os principais assessores de Segurança Nacional do governo em Camp David, tentando formular uma estratégia para o Afeganistão, após 16 anos de guerra no país.
No sábado, o presidente postou no Tweeter que tinha tomado uma decisão sobre o assunto. O secretário de Defesa dos EUA, Jim Mattis, em viagem ao Afeganistão neste domingo, confirmou a formulação de uma nova estratégia, mas disse que não daria detalhes antes do anúncio de Trump. Disse apenas estar satisfeito com a forma como o processo foi conduzido.
O principal comandante militar dos Estados Unidos no Afeganistão, general John Nicholson, sinalizou neste domingo que os militares esperam a continuidade da missão norte-americana no país. Em cerimônia para marcar o lançamento do novo grupo de operações especiais do exército do Afeganistão, Nicholson disse que os militares dos EUA vão continuar apoiando os afegãos. "Eu garanto que estamos com vocês nesta luta. Estamos com vocês e vamos continuar com vocês", disse o general em Camp Morehead, uma base de treinamento para soldados afegãos a sudeste de Cabul.
A declaração de Nicholson sugere que o Pentágono conseguiu convencer o governo norte-americano de que os militares do país devem se manter no conflito para reduzir a ameaça de ataques terroristas nos EUA. O Pentágono aguarda um anúncio final de Trump sobre uma proposta de envio de mais quase 4 mil soldados ao Afeganistão. Esses soldados iriam ajudar no treinamento das forças afegãs e reforçar as operações contra o Taleban e um grupo filiado ao Estado Islâmico que tenta ganhar espaço no país.
A administração de Trump vem discutindo há meses como formular uma nova estratégia para a guerra no Afeganistão, já que, 16 anos após os atentados de 11 de setembro, o conflito ainda continua em um impasse. O governo afegão controla apenas metade do país e é prejudicado por corrupção e conflitos internos. O Estado Islâmico teve grandes perdas mas continua planejando grandes ataques, e insurgentes do Taleban ainda encontram abrigo seguro no Paquistão. Além disso, Rússia, Irã e outros países vêm tentando influenciar cada vez mais os acontecimentos na região.
Comandantes militares afegãos já deixaram claro que desejam e esperam a continuidade do apoio militar norte-americano no Afeganistão. A retirada das forças dos EUA "seria um fracasso total", disse o coronel Abdul Mahfuz, chefe da agência de inteligência afegã em Qarahbagh, ao norte de Cabul. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia