Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 17 de agosto de 2017. Atualizado às 16h08.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Terrorismo

17/08/2017 - 13h40min. Alterada em 17/08 às 16h10min

Van atropela e causa mortes em ponto turístico de Barcelona

Polícia e ambulâncias se posicionam no local onde ocorreu a ação da van

Polícia e ambulâncias se posicionam no local onde ocorreu a ação da van


Josep LAGO/AFP/JC
Atualizada às 15h30min
Uma van branca atropelou dezenas de pessoas na tarde desta quinta-feira (17), após invadir a calçada no histórico distrito de Las Ramblas de Barcelona, próximo à praça Catalunha. A informação que está em sites de notícias e que o governo espanhol aponta é de pelo menos 13 mortos e mais de 50 feridos.
A Polícia da Catalunha confirmou que foi um atentado terrorista. O jornal El País informou em seu Twitter que a polícia identificou um dos suspeitos como Driss Oukabir, que teria alugado a van utilizada no atropelamento, segundo a Guarda Civil. 
A polícia ordenou que lojas e estações de trem e metrô nas proximidades fossem fechadas. Policiais pediram que as pessoas fiquem longe da área para não entrarem no caminho dos serviços de emergência. Um helicóptero sobrevoava o local. O El País informa que o motorista do veículo fugiu a pé. Estações de metrô e trem da região foram fechadas.
O atentado de Barcelona repete a trágica estratégia dos ataques de Nice, Berlim, Londres e Estocolmo, cometidos por extremistas muçulmanos. Mas a região da Catalunha tem enfrentado nas últimas semanas um movimento extremista contra a presença de turistas na cidade, que recebe 11 milhões de visitantes por ano. O primeiro-ministro da Espanha, Mariano Rajoy, informou via Twitter que está em contato direito com as autoridades locais e que a prioridade no momento é o atendimento aos feridos.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia