Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 24 de agosto de 2017. Atualizado às 01h22.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Transporte coletivo

Notícia da edição impressa de 24/08/2017. Alterada em 23/08 às 21h32min

Pedido do MPC é incluído em inspeção do TCE

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) aceitou o pedido do Ministério Público de Contas (MPC) para analisar o equilíbrio econômico-financeiro dos contratos de ônibus em Porto Alegre. Assinado pelo procurador-geral do MPC, Geraldo da Camino, o documento aponta que o excesso de gratuidades anunciado pela prefeitura da Capital não compromete a rentabilidade das empresas que fazem o transporte público, e sim o preço da passagem, já incluso no cálculo tarifário.
O TCE abriu, em março, uma inspeção especial nas tabelas do cálculo da tarifa dos ônibus da Capital. O responsável é o conselheiro Pedro Figueiredo, que decidiu incluir o documento encaminhado pelo MPC a uma inspeção especial, de modo que a análise será feita pela área técnica do tribunal. Não há um prazo estipulado para que essa inspeção seja concluída.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia