Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 22 de agosto de 2017. Atualizado às 10h52.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Segurança Pública

22/08/2017 - 10h50min. Alterada em 22/08 às 10h53min

Força Nacional permanece no Rio Grande do Sul até 31 de dezembro

Com a prorrogação, a permanência dos agentes em Porto Alegre será de um ano e quatro meses

Com a prorrogação, a permanência dos agentes em Porto Alegre será de um ano e quatro meses


CLAITON DORNELLES/JC
Stéphany Franco
A Força Nacional vai ficar mais tempo em Porto Alegre, pelo menos até 31 de dezembro. A ampliação do prazo foi oficializada em decreto publicado, nesta terça-feira (22), no Diário Oficial da União (DOU). As ações integradas fazem parte do Plano Nacional de Segurança Pública. Atualmente, 190 policiais atuam nas ruas da cidade. 
Os agentes apoiam nas ações para redução de homicídios dolosos, feminicídios, violência contra a mulher e no combate à criminalidade provocada pelo tráfico de drogas e armas. A Força Nacional completará um ano e quatro meses na Capital.
O secretário estadual de Segurança Pública, Cezar Schirmer, foi a Brasília, na semana passada, para pedir a permanência das tropas. O convênio venceria no próximo dia 26.
Entre agosto e setembro de 2016 um contingente com cerca de 150 agentes desembarcou em solo gaúcho depois de um pedido do governador José Ivo Sartori (PMDB) ao presidente Michel Temer, que autorizou o envio das tropas para reforçar o contingente da Operação Avante, da Brigada Militar, e aumentar a sensação de segurança da população nas ruas. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia