Porto Alegre, terça-feira, 22 de agosto de 2017. Atualizado às 22h42.

Jornal do Comércio

COMENTAR | CORRIGIR

FEIRA

Notícia da edição impressa de 23/08/2017. Alterada em 22/08 às 19h44min

Expoagas espera movimentar R$ 497 milhões em negócios

Longo ressaltou que a Agas defende a livre iniciativa e a liberdade para que cada empresa decida se deve ou não abrir aos domingos e feriados

Longo ressaltou que a Agas defende a livre iniciativa e a liberdade para que cada empresa decida se deve ou não abrir aos domingos e feriados


MARCELO G. RIBEIRO/MARCELO G. RIBEIRO/JC
A 36ª Convenção Gaúcha de Supermercados - Expoagas 2017 - foi aberta oficialmente ontem, no Centro de Eventos da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs), em Porto Alegre. Em 2016, a feira registrou R$ 469 milhões em transações entre varejistas e expositores e recebeu a visita de 44,2 mil pessoas. Para este ano, a expectativa da Associação Gaúcha de Supermercados (Agas) é de que pelo menos R$ 497 milhões em negócios sejam movimentados. Já no primeiro dia do encontro, que termina na quinta-feira, o presidente da entidade, Antônio Cesa Longo, comemorou que 80% do evento de 2018 já está fechado, com patrocínios e estandes vendidos. Tradicional termômetro de vendas para o setor gaúcho, nestes três dias pelo menos 800 novos produtos, equipamentos e serviços serão lançados e chegarão aos consumidores duas semanas depois.
Com o teatro lotado para a cerimônia de abertura, empresários e dirigentes de entidades de classe comemoraram a mais recente conquista dos supermercadistas. Há uma semana, o presidente Michel Temer assinou o decreto que reconhece o setor como atividade essencial da economia. Com o novo status, os supermercados passam a ter segurança jurídica para contratar funcionários e negociar com prefeituras e sindicatos a abertura dos estabelecimentos aos domingos e feriados, em todo o Brasil. "A Agas defende a livre iniciativa e a liberdade para que cada empresa do setor decida junto com seus colaboradores se deve ou não abrir nestes dias", afirma o presidente Longo.
Outro tema polêmico no varejo supermercadista também foi lembrado pelo dirigente da Agas. Longo afirmou que o decreto estadual que regulamenta as exigências para a manipulação e a comercialização de carnes e fiambres no Estado não trouxe proibições, mas garantiu que todos possam manipular, temperar e comercializar produtos de origem animal nas lojas de forma mais segura e responsável. "Temos o sonho que a indústria forneça 100% dos produtos de açougue e fiambreria já cortados, manipulados, temperados, fatiados, empanados e prontos para que o varejo faça o seu verdadeiro papel, que é o de vendê-los ao consumidor. E esse sonho já é real graças a entidades e fornecedores que estão investindo e se adequando a essa nova realidade", disse.
Longo reafirmou o apoio da entidade ao governo do Estado, mas aproveitou para reivindicar o aprimoramento do sistema tributário. "Acreditamos na equipe da Secretaria da Fazenda, que não medirá esforços na simplificação da legislação", comentou ele, ressaltando a necessidade urgente de uma reforma tributária no País. "O contribuinte não aguenta mais dever e parcelar, parcelar e dever. É preciso encerrar o ciclo do excesso e ingressar no ciclo do crescimento. Todos nós abrimos mão de algumas coisas para gerar riquezas à União. Agora, é a vez da União fazer a sua parte", afirmou.
Também subiram ao palco o vice-governador José Paulo Cairoli e o presidente da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), João Sanzovo Neto. Após a solenidade de abertura, o premiado economista e comentarista da Globonews, Ricardo Amorim, abordou o tema Oportunidades e estratégias no varejo.

Luiz Carlos Bohn é o Supermercadista Honorário Agas

A cerimônia de abertura da Expoagas também teve espaço para homenagens. O título de Supermercadista Honorário Agas 2017 ficou com o presidente da Federação do Comércio de Bens e de Serviços do Estado do Rio Grande do Sul (Fecomércio-RS), Luiz Carlos Bohn. Natural de São Sebastião do Caí, ele foi reconhecido por seu trabalho de liderança e capacidade de diálogo à frente da entidade. "É um líder firme e respeitado em todos os segmentos, que vem contribuindo para a resolução de questões fundamentais para o cotidiano do varejo e que conta com nosso apoio irrestrito e admiração", disse Longo.
"Me enche de orgulho estar ao lado dos supermercadistas. Os supermercados são, ao mesmo tempo, tradicionais e inovadores, pois, por um lado, lidam com as necessidades básicas do consumidor e, por outro, importam e incorporam avanços, logísticas, inovações e processos", disse. Bohn garantiu o apoio da Fecomércio na defesa dos interesses do setor supermercadista e destacou a reforma trabalhista como um avanço na legislação federal. "A reforma trabalhista representa uma verdadeira revolução nas relações do trabalho, pois dá mais flexibilidade ao mercado de trabalho", completou.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia
Antiga p agina Inicial

Acesse o caderno especial online