Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 08 de setembro de 2017. Atualizado às 16h34.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

fiscalização

31/08/2017 - 22h05min. Alterada em 01/09 às 00h36min

Áreas de fatiamento de hipermercados Zaffari são interditadas em Porto Alegre

Área de fatiados do hipermercado do Bourbon Ipiranga foi interditada por presença de bactéria

Área de fatiados do hipermercado do Bourbon Ipiranga foi interditada por presença de bactéria


Grupo Zaffari/Divulgação/JC
A existência de uma bactéria que causa danos à saúde levou à interdição de áreas onde são manipulados frios (queijos, presunto e etc) em duas unidades da rede Zaffari em Porto Alegre. A medida atingiu nesta quinta-feira (31) a unidade de fatiamento da central da rede localizada no Bourbon da Assis Brasil e que atende diversas lojas da rede, e a fiambreria do Bourbon Ipiranga, zona leste. O grupo Zaffari divulgou nota no fim da noite confirmando as medidas.
A informação sobre a detecção da bactéria Listeria monocytogenes foi feita em nota conjunta pelas secretarias da Saúde de Porto Alegre e do Estado, apontando riscos "à saúde individual e coletiva". A vigilância alertou ainda "toda a população, em especial gestantes e imunodeprimidos, para não consumir produtos fatiados já comprados de fiambreria da marca Zaffari".
"Não estamos dizendo para não comprar produtos do Zaffari, mas para não consumir o que já foi adquirido", esclareceu o secretário da Saúde da Capital, Erno Harzheim. Até porque a rede disse, na nota oficial, que só vai vender, a partir desta sexta-feira, produtos fornecidos diretamente pelas indústrias. Ou seja, recolheu as opções da marca e que são manipuladas para serem embaladas e mesmo vendidas a granel na área de frios. 
Às 10h desta sexta-feira, as secretarias da Saúde e áreas de vigilância sanitária concedem entrevista coletiva, na sede da pasta estadual, para explicar o que foi detectado e as medidas que estão sendo tomadas. São aguardadas orientações sobre como descartar produtos comprados até esta quinta, por exemplo. 
O secretário disse que a presença da bactéria foi confirmada nesta quinta e rapidamente comunicada à rede. O serviço detectou o problema em coletas de amostras de rotina, explicou Harzheim. "Logo que foi detectado houve a comunicação", diz. A inspeção investiga as causas da contaminação. A bactéria pode ter surgido em derivados lácteos e até mesmo ter sido transportada no fluxo das pessoas. O secretário explicou que o alerta especial a gestantes é por que a bactéria pode causar abortamento e infecções. 
A rede é uma das mais tradicionais e populares no Rio Grande do Sul e também tem lojas em São Paulo. Na nota, o Zaffari diz que o Serviço de Inspeção Municipal, "por motivo de cautela", determinou a descontinuidade da produção da unidade de fatiamento do Bourbon Assis Brasil. "A empresa retirou os produtos que estavam disponíveis nas lojas abastecidas por ela (hipermercado Bourbon Assis Brasil e as lojas de pequeno porte de Porto Alegre)". 

Notas divulgadas

> Secretarias da Saúde da Capital e do Estado
A Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre e a Secretaria Estadual de Saúde do Rio Grande do Sul alertam toda a população, em especial gestantes e imunodeprimidos, para não consumir produtos já adquiridos de fiambreria fatiados da marca Zaffari. Foi encontrada bactéria Listeria monocytogenes que pode causar danos à saúde individual e coletiva. Os produtos já foram retirados de comercialização e os Centros de Fatiamento e Distribuição da Marca envolvidos foram interditados pela própria empresa até que se resolva a situação. Nossas equipes de Vigilância em Saúde seguem alertas acompanhando o caso e adotando as medidas necessárias. Amanhã, 10:00, na Secretaria Estadual de Saúde, em coletiva, ambos secretários darão esclarecimentos adicionais.
> Grupo Zaffari:
"A empresa informa que, no dia 17 de agosto, foram feitas coletas de amostras de produtos na unidade de fatiamento localizada no hipermercado Bourbon Assis Brasil, e no hipermercado Bourbon Ipiranga, cujos resultados de análise ainda não foram comunicados à empresa. Desde então, preventivamente, foram intensificados os processos de higienização das áreas de produção daquelas unidades, mediante indícios de provável presença de bactéria. No dia de hoje (31), o Serviço de Inspeção Municipal, por motivo de cautela, determinou a descontinuidade da produção da unidade de fatiamento do central de recepção e recepção - que fica na Assis Brasil. A empresa retirou os produtos que estavam disponíveis nas lojas abastecidas por ela (hipermercado Bourbon Assis Brasil e as lojas de pequeno porte de Porto Alegre), que a partir de amanhã passarão a atender os clientes com produtos fornecidos diretamente das indústrias. Por iniciativa da empresa, a área de produção de fatiados do hipermercado Bourbon Ipiranga teve sua produção descontinuada como medida preventiva, enquanto aguarda o laudo oficial dos produtos coletados pela Vigilância Sanitária."
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Tatiane Gaspar 01/09/2017 23h27min
Lamentável.... Sou cliente do Bourbon Assis Brasil e costumo comer os fatiados do mercado, e por coincidência ou não este mês fui parar no hospital Muinhos com gastroenterite uma infecção no intestino fiquei quatro dias com vômito e diarréia e tive que tomar alguns remédios..... E realmente comi presunto do Bourbon!!!
Marli 01/09/2017 17h18min
O correto é fatiar na hora que o cliente quer, é mais higienico, eu até acho estranho que aqui em Porto Alegre os frios são já ficam fatiados.
Pedro Lemos 01/09/2017 15h40min
Sou fã de "carteirinha" dos produtos alimentícios comercializados pela Rede Zaffari. Há mais de 30 anos sou comprador e nunca encontrei nada que comprometesse a marca Zaffari. Este recente episodio, creio eu, nada mais é do que um fato isolado e que não pode ser comparado ao grande volume de problemas em que diariamente somos vítimas do comercio de alimentos em geral.
Andréa Martins 01/09/2017 15h26min
Lamentável que um Grupo como o Zaffari tenha esse tipo de problema.Falta de cuidados com a higiene com equipamentos e manipulação,armazenamento ,é inadmissível. Gostaria de saber que é o responsável por esse setor.?? E que tipo de punição o Zaffari vai sofrer por colocar a população em risco, não importando o tamanho do mesmo , pois não podem alegar desconhecimento nessa área.n
Paulo Ferro 01/09/2017 12h11min
Concordo que uma empresa do porte do Zaffari deveria possuir um controle interno efetivo, mas o grande problema é a situação geral que com certeza atinge os mercados menores e com condições de higiene inferiores e não vistoriadas por órgãos públicos. As mesmas práticas de fiscalização empregadas na rede Zaffari deve ser realizada em mercados e padarias menores. Quantos problemas de ordem intestinal podem ter origem em bactérias presentes em frios e derivados?
Cianus Colossi 01/09/2017 11h37min
Já comprei várias vezes, produtos industrializados neste rede, com vários de mofados a degradados.
Jeferson Neckel Guedes 01/09/2017 10h32min
Sou cliente da Cia Zaffari hà mais de 30 anos, não acredito e não aceito que esta Empresa não tenha controle de contaminação em suas estruturas, pois com exames periódicos por parte da empresa isso poderia ser detectado, agora fica a dúvida, será que o suco, os doces, os lanches que a Empresa manipula tem algum tipo de controle?????? Eu e minha família, consumimos diariamente os itens manipulados pela Cia Zaffari. O que mais pode estar contaminado????