Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 08 de setembro de 2017. Atualizado às 16h04.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Conjuntura

31/08/2017 - 12h27min. Alterada em 31/08 às 12h27min

Confiança do consumidor volta a crescer em agosto, diz CNI

O índice de endividamento acelerou cerca de 4,7%  no período

O índice de endividamento acelerou cerca de 4,7% no período


PHILIPPE HUGUEN/AFP/JC
A confiança do consumidor voltou a crescer em agosto, após três meses de desempenho negativo. Esse é o resultado do Índice Nacional de Expectativa do Consumidor (Inec), divulgado nesta quinta-feira (31) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).
O Inec subiu 2,1% em agosto na comparação com julho e atingiu 101,6 pontos. No entanto, o resultado ainda não é suficiente para reverter o desempenho negativo dos meses anteriores e está em patamar menor que o registrado no primeiro quadrimestre do ano. Na comparação com agosto de 2016, o Inec deste mês está 0,4% menor, além de ser 6,2% inferior à média histórica.
"A alta na confiança é importante, mas como o índice permanece baixo, ainda é insuficiente para projetar uma forte alta do consumo para o futuro próximo", analisa o economista da CNI Marcelo Azevedo, por meio de nota divulgada pela entidade.
Entre os componentes do Inec, quatro registraram crescimento em agosto, na comparação com julho, o que explica o aumento do índice. A maior alta, segundo a pesquisa, foi o índice de expectativa de desemprego, de 7,4%. Segundo a CNI, isso sinaliza uma redução no número de pessoas que esperam elevação do desemprego.
O índice de endividamento também cresceu 4,7% em agosto, revelando que as famílias estão reduzindo as dívidas. A pesquisa revela ainda que as finanças das famílias estão melhorando, com o índice de situação financeira registrando alta de 2,2% em agosto. Houve alta de 1,5% também no índice de expectativa sobre a renda pessoal.
O indicador sobre expectativas para compras de bens de maior valor ficou praticamente estável, com alta de 0,1% em agosto. Já o índice de expectativas sobre a inflação teve queda de 1,7% no mês, o que sinaliza, segundo a CNI, a maior preocupação dos brasileiros em relação à alta dos preços.
A pesquisa, feita em parceria com o Ibope Inteligência, ouviu 2.002 pessoas em 143 municípios entre os dias 17 e 21 de agosto.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia