Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 28 de agosto de 2017. Atualizado às 09h48.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

reforma da previdência

25/08/2017 - 19h09min. Alterada em 25/08 às 19h09min

Senador Ciro Nogueira diz que reforma da Previdência é de difícil aprovação

Ao deixar uma reunião com o presidente Michel Temer (PMDB) no escritório do peemedebista na zona sul de São Paulo, o senador Ciro Nogueira (PP-PI) disse a jornalistas que, dada a sensibilidade do tema, está muito difícil aprovar a reforma da Previdência no Congresso.
Nogueira, aliado de Temer, considera que o presidente tem base para barrar uma nova denúncia da Procuradoria-Geral da República, mas não o suficiente para passar a proposta de emenda constitucional que muda as regras da aposentadoria, cuja aprovação depende do apoio de três quintos do Legislativo. Essa dificuldade, segundo o senador, deriva da proximidade das eleições, o que constrange parlamentares em apoiar uma proposta impopular.
"Quanto mais ela se aproxima da eleição, mais difícil fica. Não por conta da base, mas por conta da questão eleitoral", comentou Nogueira, ao considerar que o apoio à medida gera grande desgaste com eleitores. "Muitos parlamentares não querem se expor na véspera de uma votação importante", acrescentou.
Apesar da avaliação negativa sobre as chances da reforma, Nogueira disse que apoia as mudanças na Previdência. Garantiu, no entanto, que esse não foi o assunto da reunião com Temer, marcada, segundo o senador, para tratar de obras em seu Estado, o Piauí.
Além de Nogueira, Temer recebeu nesta sexta-feira, 25, em seu escritório o advogado Antônio Mariz de Oliveira, deu entrevista a uma emissora de tevê chinesa e teve um encontro com executivos da General Motors, o único compromisso que constava da agenda oficial. Ainda nesta noite, ele volta a Brasília.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Teresinha Simines 28/08/2017 09h42min
Bom dia, já sou aposentada, faz 10 anos e 7 meses, continuo a trabalhar e contribuindo para Previdência com o teto máximo, pois minha aposentadoria não paga nem meu convênio médico. O trabalho de vocês é abençoado e traz para nós brasileiros uma expectativa e motivação para acreditarmos em políticos, porém meu maior medo é vocês fazerem tudo isso e cair nas mãos do Sr. Temer e dos Senadores que se vendem, fazem essas falcatruas e no final acabam aprovando, só o que é bom para classe Deles.