Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 18 de agosto de 2017. Atualizado às 14h39.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 18/08 às 14h43min

Bolsas da Europa fecham em forte queda em reação a ataque terrorista na Espanha

Os mercados acionários europeus fecharam em forte queda nesta sexta-feira (18), refletindo uma aversão ao risco que se espalhou desde a quinta-feira nos mercados globais, devido a um ataque terrorista na Espanha. Pesou, ainda, o agravamento da crise envolvendo o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.
O índice Stoxx-600 fechou em baixa de 0,72% (-2,70 pontos), aos 374,17 pontos. Na semana, no entanto, o índice subiu 0,55%. Já o Ibex-35, da Bolsa de Madri, fechou em queda de 0,56%, aos 10.385,70 pontos, com ganho semanal de 1,00%. Em Londres, o índice FTSE-100 perdeu 0,86%, aos 7.323,98 pontos, com alta semanal de 0,19%, enquanto em Frankfurt, o índice DAX caiu 0,31%, aos 12,165,19 pontos, com avanço semanal de 1,26%.
O índice CAC-40, da Bolsa de Paris, recuou 0,64%, aos 5.114,15 pontos, com alta semanal de 1,05%. Em Lisboa, o índice PSI-20 teve baixa de 1,09%, aos 5.186,10 pontos, com queda semanal de 0,30%. A Bolsa de Milão, no entanto, destoou e fechou em alta de 0,12%, na máxima, aos 21.814,96 pontos, com avanço semanal de 2,16%.
O terrorismo voltou a assombrar a Europa e impulsionou um movimento de aversão a risco no continente, semelhante ao visto na semana passada, quando houve uma escalada retórica de tensões entre Trump e o líder norte-coreano, Kim Jong-un. Desta vez, a Espanha foi alvo de ataques, os quais foram reivindicados pelo grupo terrorista Estado Islâmico.
O atentado em Barcelona deixou 13 mortos e mais de 100 feridos, de acordo com autoridades catalãs, até o momento. Um outro ataque era previsto em Cambrils, cidade próxima a Barcelona, mas os terroristas foram impedidos pela polícia local durante a madrugada de quinta para sexta-feira. O primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, comentou que a luta contra o terrorismo é uma "batalha global" e se transformou no principal problema da Espanha.
Companhias aéreas e de lazer e turismo foram algumas das principais afetadas nesta sexta-feira. Esse segmento liderou as perdas do Stoxx-600, já que costuma ser o mais atingido em casos de terrorismo. Entre as companhias aéreas, a britânica Easyjet recuou 0,85% e a irlandesa Ryanair perdeu 2,00%. Já a IAG, da qual faz parte a Iberia, principal empresa espanhola do setor, fechou em baixa de 2,00% na Bolsa de Londres.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia