Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 14 de agosto de 2017. Atualizado às 11h37.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

agronegócios

Alterada em 14/08 às 11h42min

Exportações do agronegócio gaúcho caem 20,1% em julho

O setor de carnes teve a primeira variação mensal positiva desde a Operação Carne Fraca

O setor de carnes teve a primeira variação mensal positiva desde a Operação Carne Fraca


JONATHAN HECKLER/JC
As exportações do agronegócio no Rio Grande do Sul fecharam o mês de julho totalizando US$ 1,0 bilhão, o que representa quedas de 20,1% no valor e de 23,2% em volume, frente ao mesmo período de 2016. A elevação nos preços médios praticados foi de 4,0%. Em termos absolutos, a redução nas exportações foi de US$ 265,4 milhões, de acordo com os dados divulgados nesta segunda-feira (14), pela Fundação de Economia e Estatística (FEE).
Os cinco principais setores exportadores do agronegócio no mês de julho foram complexo soja (US$ 546,8 milhões), carnes (US$ 165,6 milhões), fumo e seus produtos (US$ 161,9 milhões), produtos florestais (US$ 40,9 milhões) e couros e peleteria (US$ 31,5 milhões).
Na comparação com julho do ano passado, a queda no valor exportado foi condicionada, sobretudo, pelo complexo soja, produtos florestais e máquinas e implementos agrícolas. Em julho deste ano, foi embarcado 1,5 milhão de toneladas de soja em grão, volume 21,0% menor que o comercializado em 2016.
Na contramão, o setor que apresentou maior elevação no valor exportado foi o de carnes, com acréscimo de US$ 12,0 milhões (alta de 7,8% em valor e 7,3% em volume). Foi a primeira variação mensal positiva nas vendas externas desde a deflagração da Operação Carne Fraca. O crescimento das exportações de carnes se deve principalmente às vendas de carne suína, tendo a Rússia como principal destino.
Já o segundo maior crescimento nas exportações do agronegócio se verificou no setor de animais vivos e resulta do expressivo número de bovinos embarcados para a Turquia.
No acumulado de janeiro a julho de 2017, as exportações do agronegócio gaúcho somaram US$ 6,2 bilhões, valor 5,1% menor ao registrado em igual período de 2016. A dinâmica das vendas externas foi caracterizada por apresentar reduções no volume embarcado (-3,3%) e nos preços médios (-1,9%).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia