Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 09 de agosto de 2017. Atualizado às 21h48.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

tecnologia

Alterada em 09/08 às 21h51min

Lucro líquido da Positivo soma R$ 1,9 milhão no 2º trimestre, queda de 84,5%

A Positivo Tecnologia reportou lucro líquido de R$ 1,9 milhão no segundo trimestre de 2017, o que representa queda de 84,5% sobre o mesmo período do ano passado.
O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) atingiu R$ 31 milhões no período, redução de 41,6% ante abril e junho do ano passado. O Ebitda ajustado somou R$ 32,6 milhões, o que significa redução de 27,7% ante o mesmo período do ano passado. A companhia informou que concentrou esforços na venda de computadores no varejo, obtendo ganhos de participação.
Ainda de acordo com os dados, a receita líquida no segundo trimestre foi de R$ 435,5 milhões, queda de 22,9% sobre o mesmo período do ano passado, afetada pelo menor faturamento ao governo devido à forte base de comparação do segundo trimestre do ano passado, e celulares, em função do acirramento da competição no período.
O resultado financeiro ficou negativo em R$ 21,7 milhões, prejudicado pela perda na conta de variação cambial, de R$ 4,7 milhões. Segundo informe, esta conta está representada pela soma do resultado dos instrumentos de hedge, que foi positivo em R$ 5,3 milhões, e do efeito da oscilação cambial sobre as obrigações em aberto denominadas em moeda estrangeira, que registrou uma perda em R$ 10,0 milhões.
As demais despesas financeiras totalizaram R$ 17,0 milhões, afetadas por um ganho, reconhecido no segundo trimestre de 2016, de R$ 3,2 milhões referentes à atualização monetária de créditos tributários, aumento do spread bancário, maior endividamento líquido médio e volume de cartas de crédito em aberto para suportar a aquisição de insumos de fornecedores internacionais.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia