Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 20 de agosto de 2017. Atualizado às 22h29.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Roberto Brenol Andrade

Frases e Personagens

Notícia da edição impressa de 21/08/2017. Alterada em 20/08 às 21h20min

Frases e personagens

AJORSUL/DIVULGAÇÃO/JC
"A desejada retomada do crescimento econômico em todo o País reflete-se ainda de uma maneira muito tímida para o segmento de óptica no Rio Grande do Sul." Eduardo Machado, presidente da Associação do Comércio de Joias, Relógios e Óptica do Rio Grande do Sul (Ajorsul).
"Há um volume maior e estabilidade nas vendas, mas que não podem ainda ser comemorados porque os valores médios tiveram redução de até 30% na comparação com o período pré-impeachment. Por conta dos processos Free Form, que proporcionam a produção de uma lente progressiva sem depender da indústria, um produto que era vendido, por exemplo, por R$ 1 mil, agora é comercializado pela metade do preço." Também Eduardo Machado.
"Todo penduricalho é inconstitucional. Precisamos pôr ordem nesse caos. Um bom começo seria o próprio STF, onde sete dos 11 ministros receberam em julho acima do teto, de R$ 33,7 mil, graças a um abono de permanência." Gilmar Mendes, ministro do STF.
"A comunidade evangélica não vai negociar princípios e apoiar políticos que defenderem bandeiras como aborto, casamento gay, legalização das drogas e ideologia de gênero. Quem quiser fazer graça na eleição para o politicamente correto, para a ideologia de gênero, casamento gay, legalização das drogas e aborto, vai embora, segue seu caminho." Silas Malafaia, pastor.
"Vou apoiar em 2018 o candidato que conseguir falar com o Brasil, e não só com São Paulo. É cedo para definir qual tucano teria mais chances de chegar à presidência da República, o governador do estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, ou o prefeito da capital paulista, João Doria." Fernando Henrique Cardoso (PSDB), ex-presidente.
"Qual dos dois? Vou ver o que vai acontecer com a sociedade. Para um paulista é muito difícil ser nacional, porque São Paulo tem especificidades. O candidato tem que falar com o Brasil, não adianta ser só a sua turma. Tem que expressar a contemporaneidade e ser ético. Os partidos vão procurar quem tem mais possibilidade de ganhar." Também FHC.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia