Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 20 de julho de 2017. Atualizado às 00h04.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

reforma política

Notícia da edição impressa de 20/07/2017. Alterada em 19/07 às 21h35min

Alckmin diz que 'distritão' deixará campanha mais cara

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), voltou a defender ontem a implantação da reforma política no País, mas criticou a proposta para a adoção do chamado "distritão" como sistema eleitoral. "O distritão é um absurdo. O nome está errado, não é distritão, é 'estadão', é o estado inteiro, a campanha fica muito mais cara", disse Alckmin, argumentando que o sistema estimula o lançamento de poucos candidatos, o que prejudica a renovação.
"Se você só elege os 70 primeiros, que adianta lançar o candidato que tem 30 mil votos? Acho que o chamado distritão é pior que o modelo atual. É preciso tornar a campanha mais barata", defendeu.
Deputados de ao menos 10 partidos, entre eles o PMDB e o PSDB, já entraram em acordo para incluir o "distritão" no projeto de reforma política a ser discutido em agosto. Pelo sistema, são eleitos apenas os parlamentares mais votados em cada estado, sem considerar quociente eleitoral ou voto em legenda.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia