Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 19 de julho de 2017. Atualizado às 13h49.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

congresso nacional

Notícia da edição impressa de 19/07/2017. Alterada em 19/07 às 13h51min

'Maia está louco por assumir lugar de Temer', diz Paim

Paim disse que não sairá do PT e se candidatará à reeleição pela sigla

Paim disse que não sairá do PT e se candidatará à reeleição pela sigla


CLAITON DORNELLES /JC
Lívia Araújo
O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), está trabalhando ativamente nos bastidores para sensibilizar parlamentares em seu desejo de ocupar a cadeira de presidente da República, garantiu o senador gaúcho Paulo Paim (PT). Segundo o petista, Maia "está louco" para assumir o lugar de Michel Temer (PMDB). "Ele tem viajado aos estados. Tem senador que me fala que chega o fim de semana e ele baixa na fazenda de um, de outro... ele quer ser candidato pela (eleição) indireta também, se e logo que o Supremo decidir (pela saída de Temer)", comentou.
Para Paim, ainda que Temer esteja distribuindo bilhões de reais em emendas parlamentares e programas - até as vésperas da votação de sua denúncia na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, o presidente teria dado R$ 15,3 bilhões a aliados para estados e municípios -, as três votações de denúncias que o peemedebista tem pela frente podem desgastar os parlamentares ao ter suas posições cobradas pelo eleitorado. "No dia 2 de agosto, o Brasil todo vai estar olhando quem quer fazer a limpeza e quem não quer", considera.
No entanto, independentemente de quem esteja no Planalto, a meta a ser cumprida é a votação da reforma previdenciária, opina. "Eles querem fazer mesmo fatiada. Ambos (Temer e Maia) têm compromisso com o 'senhor Mercado'", pontuou Paim. Ainda que seja votada em partes, a aposta prioritária será na aprovação de idade mínima para aposentadoria, prevê.
Em visita ao Jornal do Comércio, onde foi recebido pelo diretor-presidente, Mércio Tumelero, Paim anunciou o lançamento do livro "O dragão debaixo da cama", sobre Previdência, que será lançado hoje, às 18h30min, no Chalé da Praça XV, em Porto Alegre. O senador também relembrou o debate sobre sua possível saída do PT, no final de 2015. Quem o convenceu a permanecer na sigla foi o ex-governador Olívio Dutra (PT). "Ele me disse: 'Paim, se os melhores saírem de cada partido, só fica a escória'".
O senador garante que é pelo PT que ele vai se candidatar à reeleição ao Senado, em 2018, descartando concorrer ao governo do Estado. Paim revelou, ainda, que já há discussão para possíveis nomes do PT ao Piratini. "Tarso Genro (governador de 2011 a 2014), o próprio (deputado federal) Pepe Vargas, Miguel Rossetto (ex-ministro da Previdência do governo da petista Dilma Rousseff), e a Manuela (d'Ávila, PCdoB) numa composição. São os nomes que eu mais ouço."
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia