Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 11 de julho de 2017. Atualizado às 18h43.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

senado

11/07/2017 - 20h50min. Alterada em 12/07 às 08h53min

Demóstenes Torres protocola pedido no Senado para retomar mandato

Demóstenes teria seus direitos políticos cassado até 2027

Demóstenes teria seus direitos políticos cassado até 2027


EVARISTO SA/AFP/JC
O advogado do senador cassado Demóstenes Torres (sem partido, ex-DEM-GO), Pedro Paulo Medeiros, disse que protocolou nesta terça-feira (11), o pedido para que o político retome o seu mandato na Senado. Segundo o próprio advogado, "ainda não há prazo para que o assunto entre na pauta do Senado - principalmente agora que eles estão às voltas com as reformas trabalhista e da Previdência".
Demóstenes era tido como símbolo da ética no Congresso, quando foi cassado há exatos cinco anos por quebra de decoro parlamentar. Ele foi acusado de usar o mandato para favorecer o bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. Em 2012, o contraventor foi preso pela Polícia Federal durante a Operação Monte Carlo sob acusação de explorar jogos ilegais e corrupção. Originalmente, Demóstenes teria seus direitos políticos cassado até 2027.
Como perdeu o foro privilegiado que tinha como senador, Demóstenes não foi julgado pelo Supremo Tribunal Federal. Mas, como procurador de Justiça do Ministério Público de Goiás, o julgamento de Demóstenes foi para o Tribunal de Justiça de Goiás
E foi a Corte Especial do Tribunal de Justiça de Goiás que arquivou, no mês passado, as ações penais contra o ex-senador. O arquivamento foi uma consequência da anulação das provas e interceptações feitas pela Polícia Federal na operações Monte Carlo. "Não pesa mais nenhuma denúncia sobre Demóstenes. A partir dessa decisão, estamos trabalhando para reaver no Senado o mandato que lhe foi tirado e também a questão da inelegibilidade".
O Senado Federal foi procurado, mas não respondeu até a publicação desta matéria.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia