Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 19 de julho de 2017. Atualizado às 00h09.

Jornal do Comércio

Opinião

COMENTAR | CORRIGIR

artigo

Notícia da edição impressa de 19/07/2017. Alterada em 18/07 às 19h05min

Mais efetivo, mais segurança

Vilmar Zanchin
Fortalecer os órgãos de segurança pública é essencial para tornar mais eficiente o combate à criminalidade no Rio Grande do Sul. Neste viés, medidas adotadas pelo governo do Estado reforçam o compromisso em garantir maior proteção aos gaúchos. Recentemente, foi anunciado que será aberto concurso com 6,1 mil novas vagas para Brigada Militar, Polícia Civil e Bombeiros. Nos próximos dias, mais de 1 mil novos soldados aprovados no último concurso passarão a atuar nas ruas após terem recebido treinamento. Além disso, a Assembleia Legislativa aprovou em segundo turno a Proposta de Emenda à Constituição que retirou da Brigada Militar a atribuição de zelar pela guarda externa dos presídios, o que deve liberar 500 policiais para protegerem a população.
A necessidade de mais efetivo foi a principal reivindicação nas audiências públicas da Comissão Especial da Segurança da Assembleia Legislativa em Porto Alegre e mais nove municípios. Por isso, figurou no topo das 47 sugestões do relatório final, que apresentei e foi aprovado por unanimidade em maio. É consenso que a sensação de insegurança diminui quando há mais policiais nas ruas. Vale destacar que há outros dois concursos em andamento, com 720 novas vagas para a Susepe e 106 para o Instituto-Geral de Perícias (IGP). O governo ainda chamou, em abril, 683 concursados, que devem entrar em serviço no segundo semestre, além de garantir o retorno de 500 PMs aposentados à ativa para trabalhar em patrulha escolar, serviços administrativos e videomonitoramento. O Estado está na travessia de uma crise financeira, mas essas ações demonstram que a atual gestão trata a segurança como prioridade. Ainda há muito a ser feito, mas as perspectivas são positivas para que o possamos entrar em um novo patamar.
Acompanharemos o andamento dos concursos para garantir que sejam realizados com brevidade, para o reforço entrar logo na ativa. Defenderemos que haja uma distribuição justa desses novos policiais, considerando as cidades que mais precisam.
Deputado estadual (PMDB)
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia