Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 04 de julho de 2017. Atualizado às 20h53.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Venezuela

Alterada em 04/07 às 20h55min

Maduro rechaça plano de consulta popular desejado por oposição da Venezuela

"Ninguém pode pretender convocar consultas públicas que tenham caráter vinculante violando a Constituição", disse o presidente

"Ninguém pode pretender convocar consultas públicas que tenham caráter vinculante violando a Constituição", disse o presidente


JUAN BARRETO/AFP/JC
O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, afirmou nesta terça-feira que apenas o Conselho Nacional Eleitoral (CNE) pode organizar, dirigir e estabelecer processos eleitorais no país. A declaração foi dada um dia após a oposicionista Mesa de Unidade Democrática (MUD) apresentar uma iniciativa para realizar uma votação popular em 16 de julho para questionar a população sobre a Assembleia Constituinte que o governo almeja implantar. A oposição ainda deseja que a votação popular abra caminho para a criação de um governo de unidade nacional.
Maduro afirmou que "ninguém pode pretender convocar consultas públicas que tenham caráter vinculante violando a Constituição", segundo o jornal El Universal. O presidente disse também que no dia 9 de julho começará a campanha eleitoral para as eleições "diretas, livres e secretas" para a Assembleia Constituinte, previstas para 30 de julho. "Ninguém pode pretender um Estado paralelo, ilegal, inconstitucional, improvisado", afirmou o presidente, de acordo com a Telesur.
Além disso, Maduro disse que a Venezuela "está disposta a ter relações de equilíbrio com o governo dos Estados Unidos", além de parabenizar o povo desse país pelo Dia da Independência, pelo qual disse ter alta estima, de acordo com a emissora Globovisión.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia