Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 01 de julho de 2017. Atualizado às 14h55.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

clima

Alterada em 01/07 às 14h55min

Merkel enfatiza compromisso com acordo climático de Paris, em crítica a Trump

Agência Brasil
Sem citar nomes, a chanceler alemã Angela Merkel fez críticas às políticas do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, em um discurso no Parlamento, nesta semana. Merkel enfatizou o compromisso da Alemanha para a cooperação multilateral para enfrentar os desafios transnacionais, tais como as alterações climáticas.
"Quem pensa que os problemas deste mundo podem ser resolvidos com o isolacionismo e o protecionismo está cometendo um enorme erro", disse Merkel, a uma semana do início oficial da Cúpula do G-20. "Somente juntos podemos encontrar as respostas certas às questões centrais dos nossos tempos". Esta circunstância se aplica ao G-20 e também à União Europeia, de acordo com a chanceler.
Dirigindo-se à questão das mudanças climáticas, ela advertiu que "não podemos esperar até que a última pessoa na Terra esteja convencida da evidência científica das mudanças climáticas. Em outras palavras: o acordo climático [de Paris] é irreversível e não negociável."
Desde que os Estados Unidos abandonaram o Acordo de Paris, a Alemanha ficou "mais comprometida do que nunca para torná-lo um sucesso", disse Merkel.
A Alemanha sediará a cúpula do G-20, de 7 a 8 de julho, na cidade de Hamburgo, no norte da Alemanha. Merkel quer que a cúpula envie um "sinal de determinação" das 20 maiores nações industrializadas e emergentes do mundo para assumir sua responsabilidade internacional. "Precisamos do G-20 mais do que nunca," disse Merkel.
No entanto, a chanceler prevê negociações difíceis, pois espera que haja muitas diferenças nos pontos de vista entre os participantes. Com informações da Agência Xinhua.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia