Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 27 de julho de 2017. Atualizado às 00h03.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Meio ambiente

Notícia da edição impressa de 27/07/2017. Alterada em 26/07 às 22h30min

Ecobarreira do Arroio Dilúvio já reteve 250 toneladas de resíduos

Equipamento está instalado na esquina das avenidas Ipiranga e Borges de Medeiros

Equipamento está instalado na esquina das avenidas Ipiranga e Borges de Medeiros


MARCELO G. RIBEIRO/JC
A ecobarreira instalada no Arroio Dilúvio, em Porto Alegre, chegou à marca de 250 toneladas de resíduos recolhidos desde sua implementação, há um ano e meio. O anúncio foi feito ontem pela prefeitura. A barreira impede que resíduos como garrafas PET, plásticos, isopores, madeiras e até animais mortos cheguem ao rio Guaíba, além de prevenir parcialmente o acúmulo de resíduos.
O equipamento está instalado na esquina das avenidas Ipiranga e Borges de Medeiros. Diariamente, os resíduos são içados e encaminhados para o aterro sanitário de Minas do Leão.
O projeto é coordenado pela empresa Instituto Safeweb, com apoio da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos, do Departamento Municipal de Limpeza Urbana e da Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Sustentabilidade. O professor Gino Gehling, do Instituto de Pesquisas Hidráulicas da Ufrgs, oferece assessoria acadêmica à iniciativa.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia