Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 27 de julho de 2017. Atualizado às 12h03.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Consumo

Alterada em 27/07 às 12h04min

Volume de cheques devolvidos cai no 1º semestre, aponta Serasa

Economistas afirmam que a menor inadimplência com cheques é reflexo da queda na taxa de juros

Economistas afirmam que a menor inadimplência com cheques é reflexo da queda na taxa de juros


JOÃO MATTOS/ARQUIVO/JC
O volume de cheques devolvidos no País por falta de pagamento caiu no primeiro semestre em relação a igual período de 2016. De acordo com o Indicador Serasa Experian de Cheques Sem Fundos divulgado nesta quinta-feira (27) o porcentual de devoluções de documentos pela segunda vez por insuficiência de fundos foi de 2,13% nos seis primeiros meses de 2017, na comparação com 2,41% anteriormente.
Conforme os economistas da Serasa, o resultado - o menor patamar de inadimplência com cheques dos últimos dois anos - reflete a inflação baixa, a queda na taxa de juros a entrada dos recursos do FGTS na economia.
No primeiro semestre, 5.325.735 cheques foram devolvidos e 250.296.036 foram compensados. No mesmo período de 2016, por sua vez, foram 7.059.080 cheques devolvidos por falta de fundos e 292.598.781 compensados.
Em junho, o total de cheques devolvidos em relação aos compensados foi de 1,86%, menor que a devolução de 2,15% registrada em maio. Também ficou aquém do porcentual de devoluções registrado no sexto mês do ano passado, de 2,36%.
A região Nordeste foi a que apresentou o maior número de devoluções, com 4,14%, enquanto o Sul do País foi onde se observou o menor porcentual de documentos devolvidos por falta de fundo, de 1,77%.
Entre os Estados, o Amapá ficou liderou o ranking no primeiro semestre: foram 17,76% de cheques devolvidos por insuficiência de fundos. São Paulo, por sua vez, teve o menor volume de devoluções, de 1,69%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia