Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 25 de julho de 2017. Atualizado às 20h23.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 25/07 às 20h24min

Cotação do dólar avança com decisão do Senado dos EUA de discutir reforma na saúde

O dólar avançou em relação ao iene e outras moedas nesta terça-feira (26), após o Senado dos Estados Unidos votar a favor de discutir a reforma na saúde e renovar as esperanças dos investidores em relação à agenda pró-crescimento do governo Donald Trump.
Ao final da tarde em Nova Iorque, perto do horário de fechamento das bolsas, o dólar avançava a 111,89 ienes, 0,9519 franco suíço e 3,5746 liras turcas. Já o euro subia a US$ 1,1651.
"Há muito tempo os mercados veem o progresso no sistema de saúde como um sinal de que os republicanos vão apoiar a reforma tributária, que tem dado apoio à economia e ao dólar", disse Vassili Serebriakov, estrategista de câmbio no Crédit Agricole. "Ainda estamos muito longe disso, mas parece que haverá algum avanço", afirmou.
Ao mesmo tempo, os investidores aguardam a decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), agendada para amanhã. A expectativa do mercado é a de que os juros sejam mantidos e que o comunicado do banco central traga pistas a respeito do ritmo de aperto. Essa expectativa tipicamente pressiona o dólar ao encorajar os investidores a comprar moedas que deem maior retorno.
Depois do resultado das eleições americanas em novembro de 2016, o dólar foi anotando altas, com os investidores apostando que os planos de Trump para estímulo fiscal, reforma tributária e desregulamentação darão impulso à economia dos EUA. A moeda devolveu esses ganhos desde que 2017 começou e a agenda política foi tomada por desvios.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia