Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 20 de julho de 2017. Atualizado às 00h04.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Agronegócios

Notícia da edição impressa de 20/07/2017. Alterada em 19/07 às 21h12min

Agricultura autoriza contratação temporária de 300 veterinários

O Ministério da Agricultura vai contratar até 300 médicos veterinários para atuarem na fiscalização do processo de abate e processamento de carnes em frigoríficos. A medida consta da Portaria Interministerial nº 231, assinada pelo ministro interino e secretário executivo da Agricultura, Eumar Novacki, e pelo ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, publicada ontem. A portaria cita "necessidade temporária de excepcional interesse público".
A medida foi sinalizada pelo ministro da Agricultura, Blairo Maggi, em decorrência de uma série de denúncias de irregularidades contra fiscais agropecuários que atuam na mesma função, depois da Operação Carne Fraca, em março passado. Os fiscais agropecuários são contrários à proposta e defendem e realização de um concurso público para contratação de mais fiscais.
Segundo a portaria, a contratação dos médicos veterinários será feita por meio de um processo seletivo simplificado e será temporária. Os profissionais que se habilitarem e forem aprovados trabalharão na fiscalização pelo prazo de um ano, prorrogável pelo mesmo período. "As contratações (...) somente serão formalizadas mediante disponibilidade de dotações orçamentárias específicas", informa o documento. O valor da remuneração dos profissionais será definido pelo Ministério da Agricultura, e o edital para o processo seletivo de contratação será aberto em até seis meses a contar de ontem.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia