Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 20 de julho de 2017. Atualizado às 00h04.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Negócios Corporativos

Notícia da edição impressa de 20/07/2017. Alterada em 19/07 às 21h57min

Livraria Cultura anuncia compra da Fnac no Brasil

Única loja da rede no Estado fica em Porto Alegre, no BarraShoppingSul

Única loja da rede no Estado fica em Porto Alegre, no BarraShoppingSul


MARIANA CARLESSO/MARIANA CARLESSO/JC
Meses depois do anúncio de que pretendia deixar o Brasil, a Fnac vai mudar de mãos. Em comunicado divulgado nesta quarta-feira, a Livraria Cultura informou que comprou as operações da rede francesa no Brasil. São 12 lojas e sete estados no País, além de um site de e-commerce. Em Porto Alegre, a única loja da rede fica no BarraShoppingSul. A Livraria Cultura tem 70 anos no mercado e uma rede de 18 lojas, entre elas, uma na capital gaúcha, no Bourbon Country. O valor da transação não foi divulgado.
Segundo comunicado, "a união entre os dois grupos criará valores e sinergias, compartilhando culturas similares e o comprometimento com a promoção da cultura no Brasil, e permitirá que a Livraria Cultura diversifique seus negócios adicionando novas linhas dos produtos e serviços".
Desde o ano passado, a Fnac vinha tentando reestruturar suas operações no Brasil. Em fevereiro passado, em comunicado, o grupo informou que "começou um processo ativo para buscar um sócio que dê lugar à retirada do País".
A rede francesa trocou discretamente a direção do negócio aqui, indicando Cláudia Elisa Soares para presidir a operação local. Com passagens por varejistas como Pão de Açúcar e Via Varejo, além da Votorantim Cimentos, ela foi contratada para reestruturar os negócios da rede, desde o portfólio das lojas à sua operação on-line.
Sem conseguir reverter a queda nas vendas, que já tinham recuado 7,5% em 2015, em janeiro deste ano, a matriz da rede francesa contratou Arthur Negri, que já foi presidente da Blockbuster, para substituir Cláudia, numa transição rápida e novamente feita sem alarde.
O Brasil representa menos de 2% das vendas totais. A distribuidora francesa desembarcou no Brasil em 1998, com a compra do Ática Shopping Cultural, no bairro de Pinheiros, em São Paulo. No ano seguinte, 1999, o ponto seria reinaugurado como a primeira loja Fnac no País.
O lucro líquido ajustado do grupo, em 2016, foi de € 54 milhões, um aumento de 37% em relação ao ano anterior, segundo o comunicado. Em 2016, a rede cresceu tanto na França ( 2,1%) quanto em sua operação internacional.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia