Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 18 de julho de 2017. Atualizado às 09h34.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 18/07 às 09h38min

Cobre recua com fracasso de Trump em avançar com projeto de saúde

Os futuros de cobre operam em baixa em Londres e Nova Iorque nesta manhã (18), após o Partido Republicano do presidente dos EUA, Donald Trump, desistir de tentar aprovar um projeto de lei de saúde em substituição ao chamado "Obamacare".
Por volta das 7h50min (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) caía 0,41%, a US$ 5.980,00 por tonelada.
Na Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova York (Nymex), o cobre para entrega em setembro recuava 0,44%, a US$ 2.7120,00 por libra-peso, às 8h38min (de Brasília).
A derrota do governo Trump gera temores de que, mais adiante, a Casa Branca tenha dificuldades de implementar outros planos, como gastos em infraestrutura e uma reforma tributária.
Na esteira da eleição de Trump, em novembro do ano passado, o cobre foi impulsionado por expectativas de novos investimentos em projetos de infraestrutura.
Outros metais básicos na LME não exibiram uma direção única: o alumínio tinha queda de 0,52% no horário indicado acima, a US$ 1.902,50 por tonelada, enquanto o zinco diminuía 1,52%, a US$ 2.777,50 por tonelada, o pouco negociado estanho aumentava 0,28%, a US$ 19.965,00 por tonelada, o níquel avançava 0,42%, a US$ 9.650,00 por tonelada, e o chumbo recuava 0,67%, a US$ 2.282,00 por tonelada
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia