Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 17 de julho de 2017. Atualizado às 22h41.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado de Capitais

Notícia da edição impressa de 18/07/2017. Alterada em 17/07 às 21h38min

Após cinco altas, bolsa realiza lucros e cai 0,34%

Depois de cinco altas consecutivas, com as quais acumulou ganho de 5,0%, o Índice Bovespa cedeu a uma discreta realização de lucros e terminou o dia em baixa de 0,34%, aos 65.212 pontos. Com o noticiário político esvaziado pelo recesso parlamentar, o indicador oscilou em um estreito intervalo, e o volume de negócios permaneceu reduzido. Foram movimentados R$ 8,879 bilhões, incluídos os R$ 3,25 bilhões do exercício de opções sobre ações.
A queda foi determinada principalmente pelas ações da Petrobras, que acompanharam a desvalorização em torno de 1% dos preços do petróleo no mercado internacional. Os papéis terminaram o dia com perdas de 1,25% (ON) e 1,23% (PN). As ações do setor financeiro também contribuíram para o desempenho negativo do Ibovespa, tendo à frente Itaú Unibanco PN (-0,96%) e Bradesco PN (-0,70%).
Já Vale ON e PNA ( 0,68% e 0,43%) refletiram a alta dos preços do minério de ferro na China e o bom momento das commodities metálicas em geral, que mantiveram os índices setoriais positivos. Para isso contribuíram os dados positivos da produção industrial e do Produto Interno Bruto (PIB) da China, que cresceu 6,9% no segundo trimestre.
Entre as ações que fazem parte do Ibovespa, as maiores baixas ficaram com Natura ON (-3,86%) e Ultrapar ON (-3,63%). Já Braskem PNA ( 5,20%) e MRV ON ( 2,67%) estiveram na ponta oposta. Com o resultado de hoje, o Ibovespa contabiliza alta de 3,68% em julho.
O início da semana de recesso parlamentar foi marcado por baixo volume de negociações no câmbio, com o dólar à vista fechando em leve queda ontem. A divisa norte-americana ficou sem tração durante toda a sessão, em dia sem novidades no campo político e no cenário externo, embora a queda de mais de 1% do petróleo tenha limitado a desvalorização da moeda norte-americana.
No mercado à vista, o dólar terminou em leve queda de 0,07%, aos R$ 3,1829. O giro financeiro somou US$ 1,19 bilhão. No mercado futuro, o dólar para agosto subiu 0,08%, aos R$ 3,1920. O volume financeiro movimentado somou US$ 9,44 bilhões.
.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia