Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 13 de julho de 2017. Atualizado às 21h02.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

balanços

Alterada em 13/07 às 21h04min

Lançamentos da MRV têm alta de 18,6% no 2º trimestre

A MRV Engenharia manteve a trajetória de crescimento ao longo do segundo trimestre do ano, com expansão dos lançamentos e das vendas, de acordo com relatório divulgado há pouco. Os lançamentos atingiram R$ 1,332 bilhão em valor geral de vendas (VGV) entre abril e junho, alta de 18,6% em relação aos mesmos meses do ano passado. Esse foi o recorde de lançamentos da companhia em um segundo trimestre. Todos os novos imóveis ofertados do trimestre se enquadram em opções de financiamentos com recursos do FGTS.
No acumulado do primeiro semestre, a MRV lançou empreendimentos que somaram R$ 2,543 bilhões em VGV, avanço de 21,3% frente ao mesmo período do ano passado.
Já as vendas líquidas da MRV atingiram R$ 1,167 bilhão no segundo trimestre, expansão de 11,9% na comparação anual. Essa performance é resultado de avanço de 7,1% das vendas brutas, para R$ 1,450 bilhão, e queda de 9,2% dos distratos, para R$ 282,6 milhões.
No acumulado do primeiro semestre, as vendas líquidas totalizaram R$ 2,218 bilhões, um aumento de 13,4% na comparação anual. Nesse período, as vendas brutas subiram 7,1%, para R$ 2,772 bilhões, enquanto os distratos recuaram 12,3%, para R$ 553,8 milhões.
A velocidade de vendas no segundo trimestre foi de 20%, patamar em linha com o de trimestres anteriores.
A MRV também reportou geração de caixa de R$ 105 milhões no segundo trimestre deste ano, baixa de 27% em relação ao mesmo período do ano passado. Esse foi o 20º trimestre consecutivo com geração de caixa.
No semestre, a geração de caixa somou R$ 176 milhões, queda de 45,6% em relação ao mesmo período do ano passado. A queda da geração de caixa está relacionada à aquisição de 44 terrenos, representando um VGV potencial de R$ 2,9 bilhões e 19 mil unidades.
A companhia continua com a estratégia de expansão do seu banco de terrenos com o foco em reabastecer as cidades de atuação e expandir as operações nas grandes cidades. No segundo trimestre, 60% do VGV adquirido estão localizados em capitais e regiões metropolitanas.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia