Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 11 de julho de 2017. Atualizado às 18h43.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 12/07 às 08h28min

Petróleo amplia ganhos com dado favorável de estoques dos EUA

Os contratos futuros de petróleo operam em alta nos negócios da manhã (12), mantendo a tendência da madrugada e ampliando ganhos de cerca de 1,4% da sessão anterior, após a divulgação de uma nova queda nos estoques dos EUA.
No fim da tarde de ontem (11), a associação de refinarias conhecida como American Petroleum Institute (API) estimou que o volume de petróleo bruto estocado nos EUA teve uma acentuada redução de 8,1 milhões de barris na semana passada. Além disso, o API apontou declínio de 800 mil barris nos estoques de gasolina. Os de destilados, por outro lado, tiveram expansão de 2,1 milhões de barris, de acordo com a entidade.
Nesta manhã, o Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) norte-americano divulga a pesquisa oficial. Analistas preveem que o levantamento mostrará diminuição de 3,2 milhões de barris nos estoques de petróleo bruto dos EUA da última semana.
Investidores também aguardam o relatório mensal da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), que deverá ser publicado logo após as 8h (de Brasília).
Dados preliminares sugerem que a produção da Opep cresceu um pouco em junho, graças principalmente às operações na Nigéria e na Líbia, os dois integrantes do grupo que foram isentos do acordo de corte na produção liderado pelo cartel. Em maio, a Opep e grandes produtores que não pertencem à organização, como a Rússia, concordaram em continuar reduzindo sua produção combinada em cerca de 1,8 milhão de barris por dia por mais nove meses, até março de 2018.
Às 7h49min (de Brasília), o petróleo tipo Brent para setembro avançava 1,28% na Intercontinental Exchange (ICE), a US$ 48,13 por barril, enquanto o WTI para agosto subia 1,49% na New York Mercantile Exchange (Nymex), a US$ 45,71.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia