Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 10 de julho de 2017. Atualizado às 19h53.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 10/07 às 19h53min

Dólar sobe ante iene, mas fica perto da estabilidade ante outras divisas

O dólar avançou em relação ao iene nesta segunda-feira (10), mas não registrou movimentos muito acentuados diante de outras divisas, em geral. Há expectativa nesta semana entre os investidores pelos pronunciamentos da presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Janet Yellen, no Congresso americano.
No fim da tarde em Nova Iorque, o dólar subia a 114,05 ienes e o euro recuava a US$ 1,1401.
A moeda japonesa ficou enfraquecida após o presidente do Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês), Haruhiko Kuroda, demonstrar uma visão otimista sobre a economia do país, mas garantir que continuarão os estímulos monetários.
A expectativa maior na semana, de qualquer modo, é pela fala de Yellen, que fala a deputados na quarta-feira e a senadores na quinta-feira. Yellen tem adotado nas últimas semanas uma visão otimista sobre a economia americana, o que tem reforçado a expectativa de mais uma elevação de juros neste ano. Yellen fará nesta semana a apresentação semestral aos legisladores.
Alguns investidores apontam ainda que a reunião de política monetária do Banco do Canadá, marcada para quarta-feira, pode não dar tanto viés de alta para o dólar. Dirigentes desse BC sinalizaram que podem estar dispostos a elevar os juros, unindo-se a vários outros que parecem se preparar para um aperto na política monetária, após anos de relaxamento.
O dólar tem ficado sob pressão nas últimas semanas, após dirigentes de bancos centrais na Europa e no Canadá oferecerem sinais de que podem começar em breve a apertar a política monetária. Analistas do Standard Bank disseram em nota a clientes que isso tem afetado o mercado de câmbio e pressionado o dólar para baixo.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia