Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 03 de julho de 2017. Atualizado às 22h38.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Aviação

Notícia da edição impressa de 04/07/2017. Alterada em 03/07 às 21h58min

Aeroportos gaúchos terão aporte de R$ 180 milhões

Companhia Azul inaugurou ontem voo para cidade de Santo Ângelo

Companhia Azul inaugurou ontem voo para cidade de Santo Ângelo


LUIZ CHAVES/LUIZ CHAVES/PALÁCIO PIRATINI/JC
Jefferson Klein
O governo federal repassará ao Estado R$ 180 milhões no biênio 2017/2018 para melhorias nos aeroportos de Passo Fundo e Santo Ângelo, além de investimentos no chamado projeto Vila Oliva, que prevê a implementação de um aeroporto em Caxias do Sul. Inicialmente, o site do Palácio Piratini publicou a informação que seriam R$ 120 milhões para todos os investimentos no Estado, mas, conforme a reportagem do Jornal do Comércio apurou com a assessoria do Ministério dos Transportes e com o presidente da Frente Parlamentar da Aviação Civil da Assembleia Legislativa, deputado Frederico Antunes (PP), esse número é bem superior, totalizando os R$ 180 milhões.
Os investimentos foram divulgados ontem pelo secretário nacional da Aviação Civil, Dario Lopes, que visitou o governador José Ivo Sartori. O primeiro termo de compromisso será firmado com o aeroporto de Passo Fundo. Com isso, serão destinados R$ 45 milhões para ampliar a capacidade, modernizar e melhorar a segurança do complexo passo-fundense. Lopes estima que a assinatura do documento para a execução das obras ocorrerá entre agosto e setembro.
Posteriormente, o dirigente informa que a meta é assinar os termos de compromisso que permitirão a ampliação do aeroporto de Santo Ângelo e iniciar as obras do de Vila Oliva, em Caxias do Sul. O primeiro empreendimento receberá R$ 15 milhões e o segundo, R$ 120 milhões. Essas ações, reforçou o secretário da Aviação Civil, serão feitas entre 2017 e 2018. O deputado Frederico Antunes complementa que, particularmente, as obras de Vila Oliva devem começar no primeiro semestre do próximo ano. Futuramente, o aeroporto de Santa Rosa também poderá ser beneficiado com verbas.
O parlamentar detalha que, no caso de Vila Oliva, trata-se da construção de um aeroporto (um projeto greenfield, que ainda será executado); em Passo Fundo, serão feitas obras em terminal, cabeceiras de pista, estação de telecomunicação e unidade de bombeiros; e em Santo Ângelo, haverá investimento em um novo terminal. Lopes acrescenta que os governos brasileiro, gaúcho e uruguaio estão tratando da possibilidade de utilizar o aeroporto de Rivera para atender também à comunidade da vizinha Santana do Livramento e da região ao redor. Antunes reforça que os voos com origem no Brasil para aquele município serão considerados como internos. A empresa que deve atuar no aeroporto de Rivera a partir dos novos voos é a Azul.
Antunes, Sartori e Lopes participaram ainda, nessa segunda-feira, da estreia do voo da Azul ligando Porto Alegre a Santo Ângelo. Inicialmente, a operação consistirá em duas viagens semanais. Entretanto, a partir de 31 de julho, passará a quatro frequências por semana. Os voos regulares estavam paralisados desde 2010. Em maio de 2016, as obras da pista do aeroporto de Santo Ângelo foram entregues. A obra de reforço do pavimento da pista teve investimento de R$ 6 milhões, com recursos do Estado e da União, por meio do Programa Federal de Auxílio a Aeroportos. Com 30 metros de largura e extensão de 1.615 metros, a pista está apta a receber aeronaves que compõem a frota das principais empresas brasileiras. O secretário dos Transportes, Pedro Westphalen, enfatiza que os voos regionais "encurtam as distâncias". O dirigente ressalta que a atividade promove o turismo e o desenvolvimento.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia