Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 31 de julho de 2017. Atualizado às 22h30.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Edgar Lisboa

Repórter Brasília

Notícia da edição impressa de 01/08/2017. Alterada em 31/07 às 21h57min

Abigeato assusta fazendeiros

ANTONIO CRUZ/ABR/JC
Criadores de gado começam a deixar o campo, assustados com a violência dos ladrões de gado. Uma matéria especial do Fantástico, da TV Globo, neste domingo, deixou autoridades e lideranças do setor em alerta. O problema se acentua quando pequenos criadores abandonam tudo e migram para a cidade com suas famílias, agravando ainda mais o já difícil controle do êxodo rural. Pequenos produtores levam suas famílias para as cidades, fugindo do trauma que enfrentam.
Mais rigor na punição
O senador gaúcho Paulo Paim (PT, foto) defende penas mais rigorosas para os ladrões de gado. Ele argumenta que, "no Rio Grande do Sul, a cada hora, acontece um roubo de gado. Em todo o Brasil, os números são alarmantes, com fazendeiros tentando organizar a própria segurança e de suas propriedades para combater o abigeato e diminuir o prejuízo". Na avaliação de Paim, "os ladrões não medem consequências, atemorizam os cidadãos com ameaças e matança de animais que são abandonados no campo após serem 'carneados'. As quadrilhas de abigeatários, são organizadas com bandidos, bem equipados, que roubam e matam animais em condições cruéis. O crime também é uma ameaça à saúde pública", acentua o senador. E o pior: "quadrilhas vendem a carne em açougues, sem nenhum controle".
Abas largas da Brigada
Paulo Paim lembra que, "desde que me conheço por gente, ouço falar em abigeato. Lembro dos 'abas-largas' da Brigada Militar que tanto fizeram história, e do famoso abigeatário da década de 1950, o Tarco Cardoso, da Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul, misto de bandoleiro e Robin Hood. É evidente que é a partir do aumento do policiamento rural que as coisas começam a mudar. E isso é uma decisão política". Agora, enfatiza o senador, "se ficar do jeito como a imprensa vem divulgando, é como 'uma casa sem tramela'. A situação é alarmante. Também deve haver penas mais rigorosas para quem comete o roubo, o abate e a comercialização. Aliás, a fiscalização e o trabalho da vigilância sanitária são fundamentais em todo esse contexto da inspeção", conclui Paim.
Carteira de habilitação
Os motoristas que atingirem 16 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) devem ser avisados pelos Departamentos Estaduais de Trânsito (Detrans) que estão perto de acumular 20 pontos e, consequentemente, ter suspenso o direito de dirigir por um período que varia de seis meses a 24 meses. É o que propõe o senador Ronaldo Caiado (DEM-GO) no Projeto de Lei do Senado nº 226/2017. Para Caiado, a medida evitará que os motoristas sejam pegos de surpresa e fará com que eles redobrem seus esforços para evitar novas multas.
Rio Ibicuí
O deputado federal gaúcho Luis Carlos Heinze (PP) comemora a publicação, no Diário Oficial da União, do resultado de habilitação de empresas aptas para a construção da nova ponte sobre o rio Ibicuí, na BR-472, entre os municípios de Itaqui e Uruguaiana. Das cinco empreiteiras que demonstraram interesse na obra, apenas duas atenderam às exigências do edital. As licitantes habilitadas foram os consórcios Nova Ponte Ibicuí e Ponte Ibicuí. Orçado em R$ 140 milhões, o projeto prevê a construção de uma ponte com vigamento em aço e laje em concreto armado com duas vias.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia