Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 05 de julho de 2017. Atualizado às 15h08.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Roberto Brenol Andrade

Palavra do Leitor

Notícia da edição impressa de 05/07/2017. Alterada em 04/07 às 18h43min

Servidores públicos

Em relação à matéria Projeto propõe avaliação de servidores públicos (Jornal do Comércio, 03/07/2017), não entendi com que irão avaliar um servidor sujeito aos mandos e desmandos da classe (ou falta dela) política. Muitíssimas vezes, o servidor quer cumprir seu papel, mas quem atrapalha com favorecimento e deslizes são os "legítimos representantes do povo". Tem é que fazer lei para acabar com a impunidade dos políticos. No serviço público, a pessoa não está aí para ficar favorecendo A ou B, como os políticos costumam fazer... (Cassiano Ricardo Kern Copetti, Porto Alegre)
Relógios de rua
Até quando ficarão sem utilidade os relógios que marcavam as horas e a temperatura em diversas ruas e avenidas de Porto Alegre? É um desleixo. Se não tem patrocínio, que a prefeitura chame uma empresa para operar o sistema, mesmo de graça. É algo muito útil aos porto-alegrenses. (Maria Julieta Gomes de Sá, Porto Alegre)
INPI
Referente ao texto na edição de 04/07/2017 do Jornal do Comércio (A demora que atrasa o desenvolvimento, de Valdomiro Soares), digo que no governo Lula (PT) foram aplicados R$ 200 milhões no INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial). Na época, informaram que iria diminuir para dois anos a liberação de patentes. Eu sou inventor, esse órgão é mal administrado, é uma vergonha. Até a Coreia do Sul nos ganha em depósito. Tudo tem rolo neste País. (Clovis Pereira)
Taxas do Detran
O Detran, seus Ciretrans e funcionários são sustentados com o dinheiro dos impostos que pagamos. Na hora de usar o órgão, tudo nos é cobrado, inclusive a simples expedição de um DOC para pagar as taxas usurpativas que lhe são destinadas. Para fazer uma simples comunicação ao Detran que vendeu o seu carro, você precisa arcar com as seguintes despesas: R$ 30,00 de taxa no banco; R$ 4,00 pelo DOC que eles fornecem para pagar essa taxa; R$ 10,00 no Cartório para autenticar a cópia do documento da venda do carro. Ou seja, cerca de R$ 45,00. Mas eu falei só comunicar que se transferiu o veículo, porque as despesas da transferência quem paga é o comprador. Quando é que algum deputado vai entrar com um projeto para acabar com essa usurpação exacerbada no sistema viário do País? (Lino Tavares, jornalista)
Coluna Livros
Caro Jaime Cimenti, muito legal sua conversa com a Rua da Praia (coluna Livros, caderno Viver, Jornal do Comércio, 30/06/2017). Adorei! (Maria Helena Guaragni, Porto Alegre)
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Dorian R. Bueno 05/07/2017 14h28min
COISAS DE UM PÃO DURO SECADOR COLORADO !!!nnOntem bem no inicio da noite um feliz torcedor do Internacional, entrou correndo no bar bem pertinho da sua casa, um pouquinho antes do juiz iniciar a partida pela LBA 2017 lá na Argentina, entre o Godoy Cruz e o Grêmio. Logo foi se acomodando no meio de alguns clientes vestido a rigor para este evento, e pediu uma CEVA. Quando o garçom já estava abrindo ela, deu uma gritaria por que aos 44seg saiu aquele GOL do Ramiro. Na hora e na maior cara de pau ele cancelou o seu pedido. O dono ficou rosnando e bem brabo. O COLORADO logo foi falando o motivo de se levantar para ir embora. Bah Tchê, não dá nem para vir secar este time do Grêmio. Vou embora, mas pelo menos economizei alguns trocados para ir ao BEIRA-RIO sábado, assistir o meu time jogar pela Série B, contra o grandioso Criciúma de SC. Abs. Dorian Bueno Google+, POA, 05.07.2017nn