Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 20 de junho de 2017. Atualizado às 13h08.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

governo federal

Alterada em 20/06 às 13h08min

Temer diz que ''fatos desprezíveis'' tentam impedir retomada econômica no Brasil

Agência Brasil
Na tentativa de atrair investimentos russos para o Brasil, o presidente Michel Temer disse hoje (20), durante o Seminário de Captação de Investimentos Russos no Brasil, em Moscou, que o país já está na "trilha da responsabilidade e do crescimento" e que "fatos desprezíveis e desprezados" têm surgido para impedir a retomada da economia.
Para um público composto por empresários russos, Temer falou sobre os efeitos que as reformas trabalhista e previdenciária trarão para o país em termos de segurança jurídica e também apresentou números positivos da economia.
"Queremos que empresas russas estejam cada vez mais presentes no país. Não tenham nenhuma dúvida: investir no Brasil é opção segura. Temos grandes mercados, estamos entre as maiores economias do mundo e nossos recursos naturais são vastíssimos. Quero salientar que o mais importante é que pusemos o país nos trilhos da responsabilidade e do crescimento", disse o presidente.
No discurso, Michel Temer afirmou que fatos "desprezíveis" não irão afetar o país. "Claro que há uma ou outra observação ou objeção. O que é interessante é que, exatamente no momento em que a economia começa a decolar, de repente acontecem fatos que visam a atentar e impedir. Fatos absolutamente desprezíveis e desprezados", disse, sem fazer referência a uma denúncia específica.
O presidente acrescentou que os acordos a serem assinados durante a visita à Rússia aproximarão mercados dos quais Brasil e russos participam. "Nossa economia abre espaço para muito mais. Com essa convicção, vamos assinar amanhã vários acordos para facilitar o comércio entre nossos países. E vamos aproximar o Mercosul da União Econômica Euroasiática, que é muito importante para o Mercosul", completou.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia