Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 12 de junho de 2017. Atualizado às 19h49.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Relações internacionais

Alterada em 12/06 às 19h55min

Trump anunciará recuo parcial na agenda de Obama para Cuba, diz CNN

Presidente americano deve anunciar que os EUA não farão mais concessões unilaterais a Cuba

Presidente americano deve anunciar que os EUA não farão mais concessões unilaterais a Cuba


SAUL LOEB /AFP/JC
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, deve realizar nesta sexta-feira um discurso em Miami, no qual revelará a política de seu governo para Cuba, de acordo com a rede CNN. A emissora informa, a partir de relatos com duas fontes do governo que pediram anonimato, que Trump anunciará um recuo em parte da agenda do ex-presidente Barack Obama para a ilha.
Durante o governo Obama, houve um relaxamento das políticas de Washington para Cuba. Agora, Trump deve anunciar que os EUA não farão mais concessões unilaterais a Cuba. A escolha por Miami para o discurso não é casual, já que a cidade é um foco de exilados cubanos contrários ao regime dos irmãos Castro: o ex-líder Fidel e o atual, Raúl.
Trump deve criticar os abusos aos direitos humanos cometidos pelo governo de Cuba e impor sanções contra autoridades suspeitas de envolvimento com a repressão a dissidentes. Segundo a CNN, as fontes disseram que o presidente americano deve também exigir a extradição de fugitivos da Justiça americana, como Assata Shakur, que recebeu asilo político na ilha após ser condenado pela morte de um policial estadual de Nova York e fugir da cadeia nos EUA.
Obama restabeleceu relações diplomáticas com Cuba, trocou prisioneiros com Havana e foi o primeiro presidente americano desde 1928 a visitar a ilha. O porta-voz da Casa Branca de Trump, Sean Spicer, já havia dito há alguns meses que uma revisão na política dos EUA para a ilha estava em andamento.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia