Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 05 de junho de 2017. Atualizado às 20h15.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

governo federal

Alterada em 05/06 às 20h20min

Temer diz que vai investir R$ 266 milhões para regulamentação de reforma agrária

Agência Brasil
O presidente Michel Temer disse nesta segunda-feira (5) que o governo federal vai investir R$ 266 milhões para colocar em prática a regulamentação dos chamados "créditos de instalação" para assentados da reforma agrária. A medida, segundo ele, vai beneficiar 70 mil famílias neste "primeiro momento de implantação".
Temer deu as declarações durante entrevista concedida à Voz do Brasil em que detalhou a assinatura, na semana passada, do Decreto 9.066/2017, que trata dos créditos de instalação destinados aos beneficiários do Programa Nacional de Reforma Agrária.
De acordo com o presidente, esse tipo de crédito é o "primeiro incentivo para que os assentados se estabeleçam na terra". Ele diz que essa e outras políticas mostram o "firme compromisso" do governo federal com a agricultura familiar. "Estamos ao lado dos brasileiros que produzem, pagam impostos, geram empregos e querem um país melhor", disse, lembrando que 60% dos alimentos consumidos no Brasil são provenientes da agricultura familiar.
"Não foi sem razão que liberamos R$ 30 bilhões para que pequenos agricultores tomem crédito, melhorem sua produção, portanto, gerem emprego e estimulem a economia do nosso Brasil", disse, lembrando do anúncio, também na semana passada, do Plano Safra de Agricultura Familiar. Temer também mencionou a renegociação de débitos rurais com o Banco do Nordeste, aprovada há alguns meses pelo Congresso Nacional, após o envio de uma medida provisória pelo Palácio do Planalto.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia