Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 03 de junho de 2017. Atualizado às 19h35.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Partidos

03/06/2017 - 19h34min. Alterada em 03/06 às 19h37min

Gleisi Hoffmann é eleita presidente nacional do PT após articulação de Lula

Gleisi comemora ao lado do ex-presidente, que foi decisivo para sua vitória

Gleisi comemora ao lado do ex-presidente, que foi decisivo para sua vitória


RICARDO STUCKERT / INSTITUTO LULA/JC
Graças a uma forte articulação de última hora do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) foi eleita presidente nacional do PT, neste sábado (3), no 6º Congresso Nacional do partido. Candidata da corrente majoritária Construindo um Novo Brasil (CNB), Gleisi teve 367 votos, 61% do total, contra 226 votos (38%) do senador Lindbergh Farias (PT-RJ), que foi apoiado pelo Muda PT (grupo que reúne quatro correntes de esquerda). O candidato independente José de Oliveira não teve nenhum voto.
Na véspera, as correntes Optei e Movimento PT, que tiveram cerca de 25% dos delegados no 6º Congresso, ameaçaram apoiar Lindbergh. Lula entrou no circuito, telefonou pessoalmente para o ex-deputado Geraldo Magela, líder do Movimento PT, e para o deputado estadual José Américo Dias (PT-SP), do Optei, para pedir apoio à Gleisi.
Na disputa pelas chapas que vão determinar a proporção de cargos de cada corrente na Executiva Nacional e no Diretório Nacional do PT, a aliança entre CNB e O Trabalho teve 290 votos, o Muda PT teve 153, Optei 92, Movimento PT 62 e a Articulação de Esquerda 35.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia