Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 26 de junho de 2017. Atualizado às 23h36.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

China

Notícia da edição impressa de 27/06/2017. Alterada em 26/06 às 19h50min

Com câncer, Nobel da Paz é libertado

Autoridades chinesas libertaram o vencedor do Prêmio Nobel da Paz Liu Xiaobo, 61 anos, vítima de câncer de fígado em fase terminal. Liu Xiaobo, professor, intelectual e dissidente chinês, cumpria uma pena de 11 anos de prisão por "subversão" desde 2009, depois de ter sido um dos autores de um texto que defendia a democracia na China.
"(Xiaobo) está sendo tratado em um hospital de Shenyang (nordeste da China)", disse ontem o advogado Mo Shaoping. A doença foi diagnosticada em 23 de maio e Xiaobo foi libertado sob condicional poucos dias depois. Ele ainda tinha três anos de condenação para cumprir.
O dissidente venceu o Nobel da Paz em 2010 por seu ativismo em defesa dos direitos humanos na China, quando já estava detido. Por sua ausência, o prêmio foi entregue de forma simbólica em 10 de dezembro do mesmo ano em Oslo, na Noruega. O ativista foi representado por uma cadeira vazia durante a cerimônia.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia