Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 25 de junho de 2017. Atualizado às 22h46.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

China

Notícia da edição impressa de 26/06/2017. Alterada em 25/06 às 20h38min

Deslizamento deixa dez mortos e 93 desaparecidos na província de Sichuan

Uma equipe formada por cerca de 3 mil pessoas procura os possíveis sobreviventes do deslizamento que soterrou, ontem, uma aldeia da província de Sichuan, no Sudoeste da China, deixando pelo menos dez mortos e 93 desaparecidos.
Segundo o deputado da Prefeitura Autônoma de Aba, Xu Zhiwen, até as 14h (horário local, 3h de Brasília) deste domingo, dez pessoas tinham sido encontradas mortas. Outras 15 foram tiradas das listas de desaparecidos, porque não estavam na aldeia de Xinmo quando ocorreu o acidente.
Com as mudanças, o total de desaparecidos foi atualizado para 93, ainda que os números variem com cada nova atualização. Anteriormente, as autoridades tinham informado que o desastre deixou 15 mortos, número agora reduzido a dez.
As autoridades publicaram uma lista com os nomes das pessoas que poderiam estar sob os escombros e pediram aos cidadãos que deem pistas que possam facilitar seu resgate, informou a agência oficial Xinhua.
A tragédia aconteceu depois que a parte alta de uma montanha caiu sobre a aldeia de Xinmo, por volta das 6h (horário local, 19h de Brasília) na sexta-feira, por causa das intensas chuvas na região.
Os membros das equipes de resgate estão varrendo a região com detectores de vida e cachorros rastreadores, mas não têm encontrado novos sinais de sobreviventes. "Não vamos desistir enquanto houver um pouco de chance", disse um membro da equipe de resgates.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia