Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 22 de junho de 2017. Atualizado às 23h52.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Reino Unido

Notícia da edição impressa de 23/06/2017. Alterada em 22/06 às 20h20min

May afirma que há 600 prédios como o Grenfell

A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, disse, nesta quinta-feira, que aproximadamente 600 prédios residenciais britânicos têm revestimento inflamável similar ao do Grenfell Tower, que pegou fogo e deixou mais de 70 mortos. May citou resultados de testes conduzidos após o incêndio em Londres, no dia 14 de junho.
"Devemos, claro, ser cuidadosos ao especular o que causou esse incêndio, mas, como uma precaução, o governo se organizou para testar revestimentos em todos os prédios residenciais relevantes", disse May ao Parlamento. "Pouco antes de chegar à Câmara, eu fui informada de que um número considerável desses testes voltou como inflamável", afirmou.
De acordo com o jornal britânico The Guardian, o revestimento escolhido para reforma do Grenfell Tower usava material mais barato e inflamável. John Cowley, diretor da empresa
Omnis Exteriors, que forneceu o material para a reforma do edifício no ano passado, disse à publicação que a firma que conduziu as obras encomendou um composto de alumínio para revestimento que custa duas libras (R$ 8,40) a menos por metro quadrado que sua versão resistente às chamas. Segundo a premiê, autoridades locais e serviços de incêndio foram informados sobre os resultados dos testes e já estão tomando medidas para torná-los seguros. 
O fogo consumiu rapidamente o Grenfell, de 24 andares, no pior incêndio do Reino Unido desde a Segunda Guerra Mundial. O desastre aumentou a pressão sob a premiê, que sofreu revés político após uma eleição antecipada resultar na perda de assentos de seu partido no Parlamento. O incêndio despertou revolta contra cortes no financiamento de governos locais, e May foi acusada de inação após a tragédia. Dezenas de pessoas ficaram feridas e 79 morreram no incêndio.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia