Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 21 de junho de 2017. Atualizado às 00h07.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

portugal

Notícia da edição impressa de 21/06/2017. Alterada em 20/06 às 21h41min

Bombeiros ainda combatem quatro focos de incêndio

O incêndio que atinge desde o último sábado a região central de Portugal continua ativo em quatro focos nos distritos de Leiria e Coimbra. No entanto, as perspectivas são favoráveis após o controle de 70% das chamas durante o dia de ontem, segundo dados da Proteção Civil.
Após os progressos registrados, 2 mil bombeiros, apoiados por meios terrestres e aéreos, trabalham para reduzir o incêndio. No início do dia, foi divulgada a notícia de que um avião modelo Canadair que combatia as chamas caiu na região da Louriceira, próximo ao vilarejo de Pedrógão Grande. Mais tarde, o governo português desmentiu a notícia.
Ontem pela manhã, as equipes reestruturaram o plano de ação, mais otimista que no dia anterior, porém ainda estão cautelosas devido às condições meteorológicas - calor em torno de 39 graus e vento -, que podem complicar as tarefas de extinção.
O último balanço de vítimas confirmou 64 mortos e 62 feridos em Pedrógão Grande, onde se iniciaram as chamas, aparentemente pelo impacto de um raio em uma árvore seca. O presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, apelou ontem para que se concentrem os esforços em combater o fogo, em vez de discutir as causas e suas possíveis responsabilidades. "A prioridade agora é o combate ao incêndio e o apoio às vítimas e seus familiares", disse o presidente, acrescentando que "depois teremos todo o tempo do mundo" para debater outros assuntos.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia