Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 06 de março de 2018.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Estados Unidos

16/06/2017 - 10h54min. Alterada em 06/03 às 20h57min

Trump critica "caça às bruxas" em investigações, mas diz que economia vai bem

O presidente dos Estados Unidos é investigado pela demissão do ex-diretor do FBI James Comey

O presidente dos Estados Unidos é investigado pela demissão do ex-diretor do FBI James Comey


SAUL LOEB/AFP/JC
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta sexta-feira (16) em sua conta no Twitter que acontece uma "caça às bruxas" em Washington. O líder americano fala em meio a reportagens da imprensa americana de que a investigação sobre suposto conluio entre a Rússia e a campanha republicana à presidência no ano passado teria se expandido e chegaria até a Casa Branca e ao próprio Trump.
"Apesar da falsa Caça às Bruxas na América, os números da economia e de empregos estão ótimos. As regulações diminuem e os empregos e o entusiasmo avançam!", escreveu o presidente. "Após sete meses de investigações e audiências no comitê no Legislativo sobre meu "conluio com os russos", ninguém é capaz de mostrar nenhuma prova. Triste!", escreveu Trump em outra mensagem hoje.
O presidente americano aproveitou também para exaltar sua presença nas redes, que segundo ele gera descontentamento da imprensa tradicional. "A Mídia da Notícia Falsa odeia quando eu uso o que se tornou minha Mídia Social muito poderosa - mais de 100 milhões de pessoas! Eu posso contorná-los."
Trump ainda afirmou que é atualmente investigado pela demissão do ex-diretor do FBI James Comey pelo homem que teria recomendado a ele para que realizasse essa demissão. A investigação sobre a suposta interferência russa na eleição do ano passado nos EUA é conduzida pelo conselheiro especial Robert Mueller, ex-diretor do FBI.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia